OMS adota plano para salvar 29 milhões da morte até 2023

24 maio 2018

Estratégia visa alcançar ODS  3 sobre saúde epromoção do bem-estar para todos; até sábado debates na Assembleia Mundial da Saúde incluem regras sanitárias internacionais e doenças não transissíveis.

A Assembleia Mundial da Saúde adotou uma estratégia para salvar 29 milhões da morte nos próximos cinco anos. O evento decorre até sábado em Genebra.

As metas são garantir que mais 1 bilhão de pessoas se beneficiem da cobertura universal de saúde até 2023,  mais 1 bilhão de pessoas estejam melhor protegidas das emergências de saúde e outro bilhão tenha melhor saúde e bem-estar.

Bem-estar

A ideia é que o plano ajude o mundo a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS. O foco está o Objetivo 3 que prevê garantir vidas saudáveis e promover o bem-estar para todos até 2030.

Falando aos participantes do evento sobre a chamada meta dos “três bilhões”, o diretor-geral da OMS,  Tedros Ghebreyesus, disse que o novo plano estratégico era ambicioso porque “assim deve ser”.

Os delegados propuseram que a agência  faça mudanças estratégicas para que sejam alcançadas essas metas, especialmente para aumentar a liderança da OMS em saúde pública.

ONU/Daniel Johnson
Diretor-geral da OMS, Tedros Ghebreyesus.

Gripe

Outras propostas são destacar o impacto nos países e garantir o acesso das pessoas a informações fiáveis e estratégicas sobre temas que as afetam.

De acordo com a OMS, a Assembleia Mundial da Saúde debate nos próximos dias  questões como regras sanitárias internacionais,  preparação para a gripe pandémica e doenças não transmissíveis.

Os outros temas incluem cólera, tuberculose, mordida de cobras, atividade física,  saúde digital, poliomielite e condições de saúde no território palestinos.

A Assembleia da Saúde discutirá ainda o acesso a medicamentos essenciais e às vacinas e a saúde de mulheres, crianças e adolescentes.

Apresentação: Daniela Gross.