FAO recomenda ações para evitar perder um terço da comida no mundo

16 maio 2018

Agência publicou lista que destaca medidas para evitar desperdício em comemorações; documento aponta feriados como momentos em que problema se torna ainda maior.

Um terço de toda a comida produzida no mundo é desperdiçada, segundo a Organização das Nações Unidas para Agricultura Alimentação, FAO. Isso representa 1,3 bilhões de toneladas de comida todos os anos.

A agência da ONU cita alimentos usados em celebrações como o Ramadão, o Ano Novo na Rússia, o solstício na Coreia do Sul e o natal no Reino Unido ao detalhar seis ações para todos. A meta é acabar com este problema, “seja qual for o feriado”.

Feriados

A FAO explica que celebrações “são uma ótima altura para festejar com comida e apreciá-la. ” Apesar disso, em várias partes do mundo, as festas populares “tornaram-se sinónimos de comer demasiado e desperdiçar comida. ”

Segundo a FAO, quando isso acontece “todos os recursos, como sementes, água, e dinheiro e trabalho, usados para a fazer a comida também são perdidos. ”

Este vídeo, em inglês, faz parte da campanha  da FAO - #FomeZero.

Conselhos

Primeiro, a agência diz que deve ser-se realista e idealizar a quantidade de comida necessária. Segundo, deve congelar-se os alimentos que sobram ou oferecer aos convidados. A FAO afirma que a comida não deve ser deixada à temperatura ambiente mais do que duas horas.

Também aconselha a transformar o que resta no almoço ou jantar do dia seguinte, dando o exemplo de algumas receitas. A FAO acredita que se deve acabar com alimentos que restam antes de cozinhar algo novo.

Outro conselho é que os convidados se possam servir a si próprios, para que escolham a quantidade de comida que conseguem comer. Finalmente, a FAO diz que se deve doar tudo o que não se consegue consumir.

A agência da ONU acredita que “o desperdício de comida se tornou um hábito perigoso. ” No dia a dia, isso acontece “quando se compra mais do que que é preciso no supermercado, se deixa frutas e vegetais apodrecer em casa, ou quando se pede mais do que se consegue comer num restaurante. ”

Apresentação: Daniela Gross