ONU condena ataque que matou pelo menos 17 em mesquita no Afeganistão

Secretario-geral da ONU, António Guterres.
Foto: ONU/Mark Garten
Secretario-geral da ONU, António Guterres.

ONU condena ataque que matou pelo menos 17 em mesquita no Afeganistão

Paz e segurança

Explosão feriu 34 afegãos em centro de registro eleitoral no domingo; agências humanitárias prestam assistência ao hospital provincial de Khost que acolhe grande parte das vítimas.

O secretário-geral das Nações Unidas condenou com veemência um ataque que matou 17 pessoas numa mesquita usada como centro de registro eleitoral. O incidente ocorreu no domingo na província de Khost, no norte do Afeganistão.

Agências de notícias informaram que pelo menos 34 afegãos ficaram feridos no ato ocorrido durante os preparativos para as eleições parlamentares. Nenhum grupo teria reivindicado a ação.

Feridos

De acordo com relatos das agências, várias organizações humanitárias enviaram suprimentos de emergência para o hospital da província de Khost onde grande parte dos feridos recebe assistência.

A explosão ocorreu uma semana depois da morte de pelo menos 60 pessoas em ataque suicida contra num centro de eleitores na capital afegã, Cabul. O incidente foi reivindicado pelo grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil.

O secretário-geral enviou condolências às famílias das vítimas e desejou rápida recuperação aos feridos. Guterres expressou solidariedade aos afegãos que “procuram exercer os seus direitos constitucionais e participar nas próximas eleições parlamentares”.

 

Apresentação: Leda Letra