Gorduras saturadas e trans matam mais de 17 milhões de pessoas por ano

4 maio 2018

OMS lança novas diretrizes de saúde globais para diminuir gorduras prejudiciais; níveis de gordura trans em alimentos de rua estão 200 vezes acima do valor diário recomendado.

Pessoas em todo o mundo precisam de reduzir o seu consumo de alimentos gordurosos que entopem artérias, de acordo com novas propostas da Organização Mundial da Saúde, OMS, divulgadas esta sexta-feira.

Todos os anos, 17 milhões de pessoas morrem com doenças cardiovasculares relacionadas com o consumo de alimentos que contêm gorduras saturadas e gorduras trans.

Recomendações

As gorduras saturadas são muito comuns e podem ser encontradas na manteiga, salmão, gemas de ovos e leite de vaca. A OMS quer que adultos e crianças diminuam o consumo dessas gorduras para 10% das suas necessidades diárias de energia.

Em relação às gorduras trans, presentes em comidas fritas e óleo de cozinha, a agência da ONU quer uma redução ainda maior. Apenas 1% da energia necessária para um dia deve vir destes alimentos.

Uma forma de identificar estes alimentos, através dos rótulos, é procurar a palavra hidrogenada, uma técnica que torna mais fácil usar estas gorduras.

Alternativas

Existem alternativas a estes alimentos. O diretor de nutrição da OMS, Francesco Branca, diz que “se realmente quisermos acabar com os perigos do excesso de gordura trans deve haver uma ação muito forte e enérgica dos governos para garantir que os produtos manufaturados não usem óleo vegetal hidrogenado. ”

Ele afirma que a remoção de gordura trans já tem sido feito em muitos países e não é sequer notada pelo consumidor. Se isso acontecer, afirma o especialista, “os produtores podem usar outra gordura com a mesma propriedade e você pode ter seu maravilhoso croissant que não contém gorduras trans.”

Discussão

As diretrizes serão oficialmente lançadas ainda este ano. Antes disso, a OMS está a realizar consultas públicas em todo o mundo para assegurar que se adaptam às diferentes necessidades regionais.

O diretor de nutrição da OMS afirma que as pessoas estão hoje muito mais conscientes sobre o perigo destas gorduras do que quando a agência publicou o seu primeiro parecer sobre o assunto, em 2002.

Segundo Francesco Branca, os países da Europa Ocidental “quase eliminaram” o uso industrial de gordura trans e a Dinamarca, por exemplo, proibiu o seu uso completamente. Apesar disso, o diretor de nutrição diz as regiões mais pobres enfrentam grandes desafios.

Estas regiões incluem vários países da Europa Oriental, assim como a Índia, o Paquistão, o Irão, muitos Estados africanos e a Argentina. Em alguns casos, os níveis de gordura trans em alimentos de rua são 200 vezes o valor diário recomendado.

 

Apresentação: Alexandre Soares

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud