Após ataques militares à Síria, Guterres pede a países que evitem escalar situação
BR

14 abril 2018

Em nota, emitida pouco depois de o presidente dos Estados Unidos informar que havia autorizado bombardeios à Síria, António Guterres pede moderação aos países membros do Conselho de Segurança e diz que órgão tem que cumprir com sua responsabilidade.

O secretário-geral da ONU informou que está acompanhando de perto relatos de bombardeios à Síria, conduzidos por Estados Unidos, França e Reino Unido.

O anúncio sobre o ataque aéreo foi feito, em cadeia de TV, pelo presidente americano, Donald Trump. O presidente citou um suposto uso de armas químicas na cidade de Duma, perto da capital Damasco, como causa para o ataque.

Lei internacional

António Guterres lembrou que existe uma obrigação, especialmente quando se trata de temas de paz e segurança, de agir de forma consistente com a Carta da ONU e a lei internacional.

O chefe das Nações Unidas afirmou que a Carta é muito clara. Ele explicou que o Conselho de Segurança tem a responsabilidade primária de manter a paz e a segurança internacionais. Dias antes, o chefe da ONU havia afirmado que estava desapontado com o fato de o Conselho não alcançar um consenso sobre uma proposta de resolução sobre a Síria.

 

Guterres pediu a todos os países do Conselho que se unam e cumpram com sua responsabilidade. Ele disse que todos têm de demonstrar moderação com o que chamou de circunstâncias perigosas.

Para ele, é preciso evitar quaisquer atos que possam escalar a situação e piorar o sofrimento do povo .

Mecanismo

Guterres afirmou que o uso de armas químicas é repugnante e que o sofrimento causado é terrível. 

Ele expressou, várias vezes, a profunda decepção com a falta de união do Conselho de Segurança sobre o tema na aprovação de uma resolução. O objetivo era adotar um mecanismo de prestação de contas sobre o uso dessas armas.

 

O ataque ocorreu em Duma, em Ghouta Oriental.
Unicef/UN0162760/Khabieh
O ataque ocorreu em Duma, em Ghouta Oriental.

O secretário-geral terminou pedindo ao Conselho que assuma suas responsabilidades preenchendo o vácuo. 

António Guterres prometeu continuar envolvido na busca de uma solução com os países-membro do Conselho.

Apresentação: Monica Grayley,
 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud