Diálogo com jovens é essencial para conter “mensagens manipuladoras dos terroristas”

12 abril 2018

Afirmação é do secretário-geral da ONU em evento sobre jovens e controle do terrorismo; notando que quase metade da população mundial tem 24 anos ou menos, António Guterres destaca que eles não são os líderes do amanhã, mas sim os líderes de hoje.

O secretário-geral participou nesta quinta-feira de um debate sobre jovens e combate ao terrorismo, no Conselho de Tutela da ONU. António Guterres lembrou que quase metade da população mundial, 46%, tem 24 anos ou menos. África e Oriente Médio são as regiões com o maior número de jovens.

Para o chefe da ONU, se a meta é “controlar as mensagens manipuladoras dos terroristas, é essencial se envolver com os jovens, permitindo que eles se expressem, sejam ouvidos e investindo tempo e recursos neles.

Liderança

António Guterres disse que os jovens não são os líderes do amanhã, mas sim os líderes de hoje. Por isso, estão no topo das prioridades das Nações Unidas.

A discussão desta quinta-feira focou nos jovens que estão em risco de cair nos discursos dos extremistas e de serem recrutados para o combate.

Segundo Guterres, se a prevenção de conflitos for levada à sério, é essencial dialogar e investir nas mulheres e homens jovens. O mundo, afirma o secretário-geral, “precisa da energia deles para combater os desafios mais sérios” da atualidade.

ONU/Mark Garten
Secretário-geral da ONU, António Guterres.

 

Potencial

Ele lembrou que os grupos extremistas acabam investindo na população jovem, porque estão “conscientes de seu potencial e de seu forte desejo por mudança”. Para conquistá-los, “oferecem visões alternativas, utilizando mensagens manipuladoras, mentiras e teorias da conspiração”.

Os extremistas também utilizam a tecnologia digital para ampliar seu alcance entre fronteiras e culturas. Mas António Guterres mencionou uma “ironia trágica: os jovens são os que mais perdem com as ideologias terroristas, sendo alvo de ataques em escolas e universidades”, por exemplo.

Opções

O secretário-geral mencionou ainda que na Síria e no Iraque, as mulheres jovens tornam-se escravas sexuais dos terroristas, são exploradas, abusadas e forçadas a se casarem.

António Guterres lembrou que os jovens de hoje precisam simplesmente de educação, de empregos e de treinamento vocacional, além da participação em decisões que os afetam e “uma voz e um lugar à mesa”.

O secretário-geral defendeu que essas metas sejam “prioridade absoluta nos planos nacionais de desenvolvimento e na cooperação entre os países”.