Guterres avisa na China que globalização é irreversível

10 abril 2018

Secretário-geral fez discurso de abertura do Fórum Econômico Boao, na China; chefe da ONU acredita que mudanças climáticas “são um grande multiplicador de outras ameaças”; visita ao país termina esta terça-feira.

O secretário-geral da ONU disse esta terça-feira, na China, que a “globalização é irreversível.” António Guterres participou na abertura do Fórum Econômico Boao, conhecido como o “Davos da Ásia”.

Guterres afirmou que a economia global representa alguns riscos, mas que “uma coisa tem de ser deixada clara: a globalização não será tornada justa através de isolacionismo, protecionismo e exclusão.”

Benefícios

O chefe da ONU explicou que a globalização “trouxe muitos benefícios – a integração das economias mundiais, a expansão do comércio, e avanços impressionantes nas comunicações e tecnologia.”

Segundo ele, “centenas de milhões de pessoas saíram da pobreza, muitas mais vivem vidas mais longas e saudáveis, e a classe média global está a crescer rapidamente.”

Apesar disso, avisou que “é preciso reconhecer que vastos números de pessoas estão a ser deixados para trás” e que “a desigualdade é sistémica e está a crescer.”

Para António Guterres, o objetivo tem de ser “uma globalização que não esquece de ningúem e que funciona como um meio de promoção da paz e desenvolvimento sustentável para todas as pessoas, comunidades e países.”

ONU China/Zhao Yun
António Guterres com o presidente da China, Xi Jinping, e a sua esposa, Peng Liyuan, no Fórum Boao.

Mudanças climáticas

No seu discurso, António Guterres também falou sobre mudanças climáticas. Segundo ele, são “um desafio que pode desfazer todos os esforços para reduzir a pobreza e promover a paz e bem-estar universal.”

O chefe da ONU acredita que estas alterações “são uma ameaça global e um grande multiplicador de outras ameaças – pobreza, necessidades humanitárias, conflito.”

No final da sua comunicação, o secretário-geral elogiou a “liderança global da China antes e depois do Acordo de Paris – politicamente, e de forma prática, com os seus objetivos ambiciosos de energias renováveis.”

Visita

António Guterres termina a visita à China esta terça-feira.

No domingo, o secretário-geral da ONU, António Guterres, visitou um centro de formação de boinas-azuis. O chefe da ONU, em visita oficial ao país, disse estar “profundamente impressionado” com o centro, localizado em Lanfang.

Guterres afirmou que a “manutenção de paz é a missão mais nobre no mundo, hoje.” Segundo ele, as mulheres e homens boinas-azuis estão prontos para sacrificar tudo para proteger os mais vulneráveis.

No mesmo dia, o secretário-geral das Nações Unidas também se encontrou com o presidente Xi Jinping.

Em Pequim, Guterres parabenizou o presidente chinês por sua recente reeleição e agradeceu o apoio dado às Nações Unidas.

O secretário-geral elogiou o “ativismo consistente e construtivo” da China para encontrar uma solução diplomática na Península Coreana. Guterres destacou o compromisso da ONU em apoiar um processo de “diálogo sincero, que leve à paz sustentada e à desnuclearização da Península Coreana”.

 

Apresentação: Alexandre Soare

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud