“Não há soluções humanitárias para conflitos”, defende chefe humanitário da ONU

23 março 2018

No Conselho de Segurança, Mark Lowcock disse que paz e soluções políticas podem interromper ciclo vicioso de conflito e fome; combate à fome na Síria, Iraque, Iémen e Sudão do Sul consumiu metade do total destinado à ajuda humanitária.

O Conselho de Segurança realizou esta sexta-feira um debate sobre a conexão entre a fome e o conflito.

De acordo com as Nações Unidas, as ações das partes em guerra geram insegurança alimentar em vários conflitos. A situação limita o acesso humanitário ou ocorrem ataques diretos a fontes de produção e infraestrutura para distribuição alimentar, como terras agrícolas, gado e estradas.

Soluções

Falando via videoconferência, o subsecretário-geral para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock, declarou que o Conselho pode evitar que a fome volte a ocorrer em áreas de conflito.

Ele destacou que não há soluções humanitárias para o conflito e que todos sabem que a paz e soluções políticas vão interromper o ciclo vicioso de conflito e fome. Para Lowcock, a principal responsabilidade do Conselho é a paz e a segurança internacional.

O chefe humanitário destacou que 490 milhões de pessoas estão malnutridas e que cerca de 80% dos 155 milhões de crianças raquíticas vivem em países afetados por conflitos.

Influência

Ele destacou que Estados-membros do Conselho têm influência sobre os conflitos e podem pedir a prestação de contas em caso de violação do Direito Internacional Humanitário.

O diretor-geral do Programa Mundial de Alimentação lembrou que pelo menos 815 pessoas passam fome no mundo. David Beasley revelou que US$ 27 biliões destinados à ajuda humanitária foram usados na Síria, Iraque, Iémen, Sudão do Sul.

O seu apelo é que todos trabalhem juntos para acabar com conflitos e para que haja garantias de acesso às áreas afetadas para fornecer apoio humanitário e de desenvolvimento aos necessitados. Segundo ele, só dessa forma acabaria a fome, por esta ser diretamente relacionada ao conflito e porque o conflito está diretamente relacionado à fome.

Impacto

De acordo com as Nações Unidas, as guerras influenciam o aumento dos preços dos alimentos e têm consequências económicas com impacto na segurança alimentar.

Atualmente, está em curso uma reflexão sobre o papel do Conselho de Segurança para garantir o cumprimento do Direito Internacional Humanitário, e para evitar que a fome seja usada como método de guerra.

Apresentação: Alexandre Soares.

 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud