Cate Blanchett alerta para “corrida contra o tempo” para proteger os rohingyas

21 março 2018

População de refugiados que está em Bangladesh sob risco de sofrer grandes impactos da temporada de monções, que deverá causar chuvas fortes e ciclones; atriz e embaixadora do Acnur visitou os rohingyas e pede apoio urgente da comunidade internacional.

A atriz australiana Cate Blanchett lançou um alerta esta quarta-feira sobre os riscos da temporada de monções para a população de refugiados rohingya que está vivendo em Bangladesh.

Ela é embaixadora da Boa Vontade da Agência da ONU para Refugiados, Acnur, e acaba de terminar uma visita ao país asiático. A estação de monções deve começar em breve, causando chuvas fortes e ciclones, podendo colocar em risco mais de 100 mil refugiados rohingya que vivem nos assentamentos do distrito de Cox’s Bazar.

Emergência

Blanchett está fazendo um apelo à comunidade internacional, por mais medidas urgentes em apoio ao Acnur. Segundo ela, está em curso uma “corrida contra o tempo” para proteger os rohingyas e este apoio à agência é essencial para “evitar uma emergência dentro de uma emergência”.

O Acnur destaca que desde agosto de 2017, mais de 671 mil refugiados rohingya deixaram Mianmar por conta da violência e buscaram segurança em Bangladesh. Cate Blanchett destacou que essa população já “vivenciou violência, abusos de direitos humanos e viagens horríveis”, mostrando “coragem e resiliência inimagináveis”.

Risco de desabamento

Durante visitas aos acampamentos em Cox’s Bazar, ela destacou a necessidade de garantir com rapidez que os refugiados estejam seguros e em condições de enfrentar possíveis inundações e deslizamentos de terra.

Blanchett afirmou ter visto, em primeira mão, como as equipes do Acnur estão trabalhando, distribuindo abrigos e kits pré-monção para as famílias vulneráveis. A atriz reforçou que estradas, pontes e infraestruturas estão em risco de desabamento e por isso, são necessárias mais ações para garantir que os refugiados estejam seguros.

A embaixadora do Acnur pede à comunidade internacional para demonstrar solidariedade com a agência e com o governo de Bangladesh, que têm sido os primeiros a  responder à crise. Ela lembrou que a maioria dos refugiados rohingya são mulheres e crianças, sendo esta a crise de refugiados que mais cresce no mundo.

Na semana passada, foi lançado um apelo internacional de US$ 951 milhões, dinheiro essencial para ajudar até dezembro os refugiados e comunidades que acolhem os rohingyas. O Acnur pede US$ 196,3 milhões para continuar seu trabalho de assistência.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud