ONU reitera tolerância zero a abuso sexual e promove assistência a vítimas

13 março 2018

Coordenadora da ONU sobre Resposta à Exploração e ao Abuso Sexuais, Jane Holl Lute, falou a correspondentes na série da ONU, nesta terça-feira; organização pede colaboração de países-membros.

A coordenadora especial para melhoramento na resposta da ONU à exploração e ao abuso sexuais afirmou que a organização está implementando medidas para combater o problema e colocar a assistência a vítimas no centro de todos os esforços.

Jane Holl Lute falou ainda sobre a importância de se combater a impunidade numa entrevista a correspondentes, em Nova Iorque.

Relatório

A coordenadora especial explicou que o secretário-geral está colocando a própria ONU em ordem e fazendo tudo o que é possível para evitar que os abusos aconteçam e para responder da melhor forma caso o incidente ocorra.

Jane Holl Lute foi nomeada para o posto com o objetivo de reforçar a resposta da ONU em agências da organização missões de paz e outras partes do sistema.

As iniciativas anunciadas pelo secretário-geral António Guterres em seu relatório deste ano “Medidas Especiais para Proteção de Exploração e Abuso Sexuais” foram preparadas de acordo com resoluções da Assembleia Geral sobre o tema e a estratégia de uma “nova abordagem”.

O chefe das Nações Unidas já deixou claro que os casos não serão tolerados e que nenhum indivíduo que serve sob a bandeira da organização pode estar associado a exploração ou abuso sexuais.

Línguas oficiais

A estratégia prioriza os direitos e a dignidade das vítimas. Segundo Jane Holl Lute, o chefe da ONU já se reuniu com algumas vítimas.

Holl Lute afirmou que a comunicação é um dos pilares da estratégia com websites, informações nas seis línguas oficiais e aplicativos que serão aplicados no terreno. A coordenadora lembrou que o número de alegações caiu em 2017. Foram 138 no ano passado contra 165 em 2016.

Ela contou que haverá mais treinamento e escrutínio para os funcionários e que gerentes passarão a adotar avaliação de risco, melhorar a conscientização, as estatísticas, a prestação de contas e o relato dos casos.

Jane Holl Lute afirmou que os países-membros estão colaborando com a ONU e outras partes para alcançar o progresso da estratégia.

Ele finalizou dizendo que incidentes de abuso e exploração sexuais prejudicam e causam sofrimento às pessoas que a ONU trabalha para proteger.