Secretário-geral declara “momento de mudança” para meninas e mulheres

12 março 2018

António Guterres discursou na abertura da 62ª. sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher; encontro deste ano é dedicado às mulheres que vivem em zonas rurais.

O secretário-geral da ONU disse esta segunda-feira, na abertura da nova sessão da Comissão sobre o Estatuto da Mulher, que este era “um momento de mudança para os direitos de meninas e mulheres.”

Segundo António Guterres, em todo o mundo “as mulheres estão a contar as suas histórias e provocar conversas importantes – em aldeias e cidades, em empresas e em casa, nas ruas e nos corredores do poder.”

Mudança

O chefe da ONU lembrou os movimentos feministas “MeToo”, “Time’s Up” e “The Time is Now” e explicou que “séculos de patriarcado e discriminação deixaram um legado prejudicial.”

Guterres acredita que “atitudes sexistas e estereótipos são generalizados em governos, no setor privado, na academia e nas artes”. O chefe da ONU também mencionou outras áreas como ciência, tecnologia, e mesmo na sociedade civil e organizações internacionais como as Nações Unidas. 

Assista ao vídeo do discurso do secretário-geral (em inglês).

 

Guterres lembrou que cerca 30% dos trabalhos de investigação e desenvolvimento são ocupados por mulheres, apenas seis mulheres venceram o Oscar este ano contra 33 homens, e, na ONU, somente cerca de 20% dos embaixadores são mulheres.

Para ele, “apenas quando estatísticas como estas forem mudadas será possível falar de ‘uma nova era para as meninas e mulheres.’”

O secretário-geral falou ainda do assédio sexual na organização, dizendo que tem “tolerância zero” para o problema, que foram implementados planos de ação e que pretender continuar esse progresso. 

Homens

O secretário-geral disse que proteger os direitos das mulheres está no interesse de todos e que “é por isso que todos os homens devem apoiar os direitos das mulheres e a igualdade de género.”

É também por isso, acrescentou Guterres, que ele se considera “um orgulhoso feminista.”

Mulheres rurais

A sessão da CSW deste ano, que deve terminar a 23 de março, é dedicada às mulheres e meninas que vivem em zonas rurais.

Guterres disse que este “é um grupo particularmente marginalizado, que pode ter falta de acesso a cuidados de saúde, educação e tecnologia.”

Apesar disso, explicou Guterres, “as mulheres rurais são muitas vezes a espinha dorsal das suas famílias e comunidades, gerindo a terra e os recursos, sendo especialistas na resiliência ao clima e desenvolvimento sustentável.”

Exemplo

O chefe da ONU afirmou que a organização tem responsabilidade de liderança nesta área e que esta é uma das suas prioridades enquanto secretário-geral.

Guterres lembrou que a ONU tem neste momento, pela primeira vez na sua história, mais mulheres do que homens no seu grupo de liderança, o gabinete do secretário-geral, e que um terço das chefias e vice chefias das missões de manutenção de paz são ocupadas por mulheres.