Seis trabalhadores humanitários mortos em ataque na Republica Centro-Africana

28 fevereiro 2018

Dentre as vítimas está um funcionário do Unicef, que disse que o atentado não faz sentido; os outros cinco trabalham na área de educação; o grupo perdeu a vida perto da fronteira com o Chade.

Um funcionário do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, e outros cinco trabalhadores humanitários foram mortos esta semana num ataque na Republica Centro-Africana.  

O chefe de comunicações do Unicef para a África Central e Ocidental, Thierry Delvigne-Jean, disse à ONU News, de Bangui, que o grupo foi atacado no domingo, perto de Markounda, uma área remota nas imediações da fronteira com o Chade.

Ataque insensato

“Estamos profundamente tristes e chocados com a morte do nosso colega, juntamente com outros cinco educadores que foram atacados em 25 de fevereiro, enquanto viajavam no nordeste da República Centro-Africana, em uma área difícil de acessar, perto da fronteira com o Chade.”

Numa declaração, o Unicef disse que o ataque “não faz sentido”. Delvigne-Jean afirmou que a agência não tem mais detalhes neste momento, mas condena o ataque e demonstra solidariedade às famílias das vítimas. 

“Nós condenamos veementemente este ataque contra os trabalhadores humanitários, que estavam lá para melhorar a vida das pessoas mais vulneráveis. Oferecemos as nossas mais sinceras condolências às famílias e aos colegas das vítimas.”

Segundo a ONU, a violência provocada por milícias na República Centro-Africana piorou no ano passado espalhando-se por várias regiões.

Em agosto, confrontos entre uma milícia e um grupo de autodefesa mataram 30 civis, incluindo seis voluntários da Cruz Vermelha.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud