Secretário-geral diz que prepara nova iniciativa sobre desarmamento

26 fevereiro 2018

António Guterres discursou esta segunda-feira na Conferência sobre Desarmamento, em Genebra; chefe da ONU disse que a comunidade internacional deve adotar com urgência uma nova visão comum de desarmamento e controle de armas.

Alexandre Soares, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, informou esta segunda-feira na Conferência sobre Desarmamento, em Genebra, na Suíça, que está a preparar uma nova iniciativa sobre o tema das armas.

Guterres disse que o objetivo é “dar maior ímpeto e direção” a esta agenda e que “é preciso trabalhar para formar um novo consenso sobre a eliminação das armas nucleares.”

Nova iniciativa

Guterres avançou que já pediu à sua alta representante para o Desarmamento, Izumi Nakamitsu, para falar com vários atores e especialistas relacionados com o tema e desenvolver a iniciativa.

O secretário-geral disse que “os desafios são enormes, mas a história mostra que tem sido possível chegar a acordo sobre o desarmamento e controle de armas mesmo nos momentos difíceis. ”

Para o chefe da ONU, é preciso completar com sucesso a renovação do Tratado de Não-Proliferação de Armas Nucleares, cumprir sem atrasos o Tratado de Proibição de Testes Nucleares e punir quem desrespeita a Convenção sobre as Armas Químicas.   

Ameaça nuclear

O secretário-geral explicou que os riscos das armas nucleares são “claros” e que “existe uma grande, e justificada, ansiedade em todo o mundo sobre uma guerra nuclear.”

Para ele, a comunidade internacional precisa “trabalhar em conjunto para alcançar o seu objetivo comum: um mundo sem armas nucleares.”

A este nível, o chefe da ONU disse que houve desenvolvimentos positivos nas últimas semanas, como o diálogo entre a Coreia do Norte e a Coreia do Sul durante os Jogos Olímpicos e o cumprimento dos objetivos do Tratado Start II pelos Estados Unidos e pela Rússia.

Balanço

Guterres acredita que o controle de armamentos alcançou “progressos significativos” nas últimas décadas, mas que “nos últimos anos, alguns objetivos de longa data, como a redução das despesas militares e a redução das forças armadas, foram abandonados.”

O chefe da ONU explicou que nos dias de hoje “o poder militar é exaltado e glorificado, sem mencionar o custo chocante do conflito humano” e que “alguns países persistem na ideia errada de que as armas nucleares tornam o mundo mais seguro.”

Segundo ele, a indústria do armamento “nunca teve tanto sucesso” desde o fim da Guerra Fria. Os gastos militares ultrapassam os US$ 1,5 trilhão por ano em todo o mundo.

Guterres concluiu o seu discurso dizendo que “em face da deterioração da situação, a comunidade internacional deve adotar urgentemente uma nova visão comum de desarmamento e controle de armas.”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud