Agência da ONU para migração busca US$ 194 milhões para ajudar sírios
BR

23 fevereiro 2018

Conflito está prestes a completar sete anos; dinheiro será utilizado para ajudar civis que estão no país e também os refugiados; chefes de agências da ONU fazem apelo conjunto em prol da população da Síria.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Após quase sete anos de conflito armado na Síria, a situação humanitária continua piorando, segundo as Nações Unidas. Dentro do país, são mais de 13 milhões de pessoas que precisam de assistência. Quase 3 milhões vivem em áreas sitiadas ou onde o acesso é difícil.

Além disso, mais de 5,5 milhões de sírios buscaram refúgio nas cinco nações vizinhas: Líbano, Jordânia, Turquia, Iraque e Egito. Nesta sexta-feira, a Organização Internacional para Migrações, OIM, lançou um apelo financeiro.

Apoio

A agência busca US$ 194 milhões para fornecer abrigo, água potável, serviços de saúde e garantir a educação das crianças neste ano. O diretor-geral da OIM, William Swing, declarou que essas ações são vitais para “garantir que os sírios tenham o apoio que precisam de forma desesperada”.

Também nesta sexta-feira, os chefes de várias agências da ONU divulgaram um comunicado conjunto sobre a crise síria. Eles dizem que mais do que nunca, agora é o momento de ampliar o apoio internacional aos países vizinhos à Síria e à comunidades que abrigam os refugiados.

Foto: Unicef/Amer Al Shami
Rua no leste de Gouta, na Síria

Os chefes das agências pedem um cessar-fogo imediato, proteção dos civis e acesso humanitário a Ghouta Oriental, além da permissão para a retirada de pessoas doentes e feridas.

Cessar-fogo

A nota é assinada pelo alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi; pelo administrador do Programa da ONU para o Desenvolvimento, Pnud, Achim Steiner e pelo coordenador da ONU para Ajuda de Emergência, Mark Lowcock.

Já a porta-voz do enviado especial da ONU para a Síria reiterou o apelo de Staffan de Mistura por um cessar-fogo urgente em Ghouta Oriental. Segundo Alessandra Vellucci, o enviado vê a situação humanitária como alarmante e pede o fim “dos terríveis e pesados bombardeiros” na região e também na capital Damasco.

O Conselho de Segurança pode votar nesta sexta-feira uma resolução pedindo um cessar-fogo em Ghouta Oriental. Quase 350 pessoas foram mortas somente neste mês. 

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud

 

Rastreador de notícias: últimas sobre o tema

Chefe de direitos humanos cita “aniquilação monstruosa” em Ghouta Oriental

Escalada da ofensiva por parte do governo e aliados levou a quase 350 mortes e mais de 870 feridos somente neste mês de fevereiro; Zeid Al Hussein lembra de civis que estão há cinco anos vivendo sob o cerco e privados das necessidades mais básicas.

Guerra síria faz 1,000 vítimas civis só na primeira semana de fevereiro

Número inclui mortos e feridos por conta de ataques aéreos; secretário-geral da ONU, António Guterres, faz apelo por redução imediata da violência.