Apoio humanitário à Somália vai custar US$ 1,5 mil milhão em 2018

31 janeiro 2018

Agências querem aproveitar ponto de viragem para o fim de crises recorrentes; fome foi evitada com resposta internacional em larga escala, coletiva e sem precedentes.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A comunidade internacional vai precisar de US$ 1,5 mil milhão para atender às necessidades de 5,4 milhões de pessoas na Somália este ano. O Plano de Ação Humanitária 2018 foi lançado esta terça-feira em Mogadíscio.

O primeiro-ministro somali, Hassan Ali Khaire, liderou o ato com a participação do administrador do Programa da ONU para Desenvolvimento, Achim Steiner, e do coordenador das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários, Mark Lowcock.

Emergência

O lançamento ocorreu um ano após a seca ter sido declarada como emergência nacional no país africano. Agências humanitárias concordam que a fome foi evitada com uma resposta em larga escala, coletiva e sem precedentes.

Mas a ideia é impulsionar “o ponto de viragem para o fim do ciclo de crises humanitárias recorrentes” no território somali.

Conquista

Falando no evento, Achim Steiner destacou a liderança do Governo da Somália em evitar a fome em 2017. Ele disse haver agora uma oportunidade de desenvolver essa conquista com soluções a longo prazo.

O coordenador de Assistência de Emergência, Mark Lowcock, pediu à comunidade internacional que dê um apoio sustentado ao país e reconheceu que a situação não pode ser resolvida apenas por meio de intervenções humanitárias.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Fome continua aumentando nas zonas de conflito, alerta FAO

Pelo menos 30 refugiados e migrantes morreram afogados no Iémen 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud