Milhares de centro-africanos fogem da violência e seguem para o Chade

8 janeiro 2018

Refugiados recebem auxílio do Acnur; mais de 5 mil civis já foram para o país nas últimas semanas, a escapar de conflitos entre grupos armados na cidade de Paoua.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.* 

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, está a registar e a ajudar milhares de civis que chegam ao Chade, após escaparem da violência na República Centro-Africana.

A maioria são mulheres e crianças, que fogem da situação no noroeste do país. Segundo o Acnur, mais de 5,6 mil refugiados centro-africanos chegaram ao sul do Chade nas últimas semanas.

Abusos 

Os civis escapam de confrontos entre grupos armados na cidade de Paoua, sendo que a região já tem 20 mil deslocados internos. Esse é o maior fluxo de pessoas que já deixaram a República Centro-Africana recentemente a caminho do Chade.

Muitos que saem do país confirmam casos de abusos de direitos humanos cometidos por grupos armados nos vilarejos que ficam na fronteira entre os dois países.

Apesar da fronteira estar fechada, o Acnur saúda o gesto das autoridades chadianas em permitir a entrada de refugiados em busca de proteção. A agência informa que o Chade tem mais de 75 mil refugiados da República Centro-Africana, de um total de 545 mil centro-africanos abrigados em países vizinhos.

*Apresentação: Denise Costa.

Notícias relacionadas:

Missão da ONU na República Centro-Africana condena violência sectária

Nova onda de violência desloca milhares de centro-africanos

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud