Guterres anuncia investigação sobre ataque a boinas-azuis na RD Congo
BR

6 janeiro 2018

Quinze soldados de paz morreram e mais de 40 ficaram feridos na ação mais letal contra uma Missão da ONU; secretário-geral escolhe especialista Dmitry Titov para liderar investigação especial.

Quinze soldados de paz morreram e mais de 40 ficaram feridos na ação mais letal contra uma Missão da ONU; secretário-geral escolhe especialista Dmitry Titov para liderar investigação especial.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

As Nações Unidas estão lançando uma investigação especial sobre os ataques a soldados de paz ocorridos recentemente na República Democrática do Congo.

O foco será a ação de 7 de dezembro, que foi a que mais matou boinas-azuis nas últimas décadas: 15 morreram e 43 ficaram feridos. Um soldado continua desaparecido. Os mortos pertenciam ao batalhão da Tanzânia que serve à Missão de Estabilização das Nações Unidas na RD Congo, Monusco.

Prevenção

Na noite de sexta-feira, o secretário-geral António Guterres anunciou, por meio de seu porta-voz, a escolha de Dmitry Titov, da Rússia, para liderar a investigação especial. Ele trabalha na ONU desde 1991, tendo vasta experiência do Departamento de Operações de Paz da organização.

A equipe de investigação examinará as circunstâncias do ataque, avaliará o preparo e a resposta da Monusco e fornecerá recomendações sobre como prevenir ações do tipo.

Os trabalhos começam já neste mês de janeiro, com a equipe indo até a RD Congo e visitando também países da região africana dos Grandes Lagos. Além de oficiais da ONU, dois militares da Tanzânia fazem parte do painel.

Notícias relacionadas:

ONU escolhe jurista argelina para chefiar Missão de paz na RD Congo

Chefe das Missões de Paz visita sobreviventes do ataque na RD Congo|