FAO diz que produção de madeira dobrou em um ano chegando a 6%

25 dezembro 2017

Subida ocorreu pelo sétimo consecutivo; em 2015, crescimento foi de 3%; ano passado obteve melhor performance desde início da crise em 2008.

Subida ocorreu pelo sétimo consecutivo; em 2015, crescimento foi de 3%; ano passado obteve melhor performance desde início da crise em 2008.

Manuel Matola, da ONU News em Nova Iorque.

A Organização da ONU para Agricultura e Alimentação, FAO, diz que a produção de madeira no mundo atingiu os 6% em 2016, a maior taxa registada desde o início da crise económica em 2008.

Em nota divulgada esta quinta-feira, a FAO refere que, no ano passado, a produção de principais materiais fabricados à base de madeira subiu, pelo sétimo ano consecutivo, de três para 6%.

Recuperação económica

O aumento nos principais produtos de madeira, como a madeira industrial, serrada, painéis à base de madeira e pallets ocorreu em países da Ásia-Pacífico, América do Norte e Europa, cujas economias têm vindo a recuperar desde a eclosão da crise mundial há quase 10 anos.

O encarregado-sênior para Floresta da FAO, Mats Nordberg, afirmou que, “em 2016, o ritmo de crescimento no setor de madeira duplicou em relação ao ano anterior e que essa tendência positiva provavelmente continuará até 2018, devido ao crescimento económico global e à procura de biocombustíveis”.

Meio ambiente

Nordberg considerou, por exemplo, que “um crescimento rápido na produção de painéis à base de madeira significa armazenar mais carbono por períodos mais longos em comparação com outras categorias de produtos de madeira, como polpa e papel ou combustível de madeira. Isso contribui para reduzir as emissões de carbono na atmosfera”.

De acordo com o responsável, “outra tendência positiva é o aumento de reciclagem da madeira utilizada em painéis que também evita liberação de carbono”.

Energias renováveis

Segundo a FAO, o crescimento na produção de madeira se deveu não só aos bons resultados das economias dos países da Ásia-Pacífico, América do Norte e Europa. Também resulta da procura por bioenergia, cujas fontes principais são produtos provenientes de matérias primas renováveis.

Estes resultados foram impulsionados igualmente pelas novas capacidades de fabricação de Placas de Partículas Orientadas, conhecidadas por placas OSB, que são produzidas maioritariamente a partir de madeira de pinheiro e comumente usados na construção de móveis.

Bionergia

A agência da ONU refere, por exemplo, que produção de pallets de madeira aumentou dramaticamente nos últimos anos chegando a atingir metas de bioenergia estabelecidas pela União Europeia.

Em 2016, só a produção de pallets de madeira a nível global cresceu mais 6%, chegando a 29 milhões de toneladas, mais de metade dos quais foi negociado internacionalmente.

A nota da FAO fala das políticas de energias renováveis do Reino Unido e da Coreia do Sul, países cujos aumento das importações e do consumo em apenas 0,7 milhão de toneladas fez subir o aumento do consumo e das importações a nível mundial.