Meninos e homens vítimas de violência sexual na Síria têm entre 10 e 80 anos
BR

6 dezembro 2017

Estudo da Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur, indica que dezenas de pessoas no Líbano, na Jordânia e no Iraque sofreram com abusos ou estupros.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

A violência sexual a meninos e homens no conflito da Síria é maior do que se pensava, segundo um estudo da Agência das Nações Unidas para Refugiados, Acnur.

O levantamento, divulgado esta quarta-feira em Genebra, cita vítimas entre 10 e 80 anos. As informações foram obtidas de 196 refugiados sírios no Líbano, na Jordânia e no Iraque no fim de 2016.

Idosos

Além de crianças e idosos, foram violentados gays, bissexuais, transgêneros e intersexuais.

Há casos de jovens que foram abusados enquanto buscavam trabalho em países de refúgio.

O vice-chefe do Acnur, Volker Türk declarou que esses relatos mostram quão grave é o risco de violência sexual tanto para mulheres e meninas como para homens e meninos.

Ele disse estar claro que a falta de acesso a serviços aliada à cultura de silêncio “reforça o mito de que esse problema é raro”.

O relatório recomenda mais estudos na área e propõe medidas para melhorar o atendimento de sobreviventes, maior conscientização de trabalhadores humanitários e reforço de estratégias de prevenção da violência sexual.

*Apresentação: Monica Grayley.

Leia mais:

Apelo para ajuda humanitária na Síria