ONU diz que todos os países devem se beneficiar de revolução tecnológica
BR

15 novembro 2017

Relatório da União Internacional das Telecomunicações, UIT, divulgado nesta quarta-feira, aborda tecnologias da informação e comunicação; Islândia lidera o Índice de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação e Comunicação, IDI, da UIT em 2017.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

A nona edição do relatório anual Medindo a Sociedade da Informação foi lançada nesta quarta-feira pela União Internacional das Telecomunicações, UIT, a agência das Nações Unidas especializada na área das tecnologias da informação e comunicação.

O documento deste ano conclui que avanços na internet, análise de big data, computação em nuvem e inteligência artificial vão permitir “enormes inovações” e transformar “de forma fundamental” negócios, governos e sociedades, servindo para melhorar os meios de subsistência em todo o mundo.

Revolução

Segundo o relatório, essa “revolução vai se desenrolar nas próximas décadas com oportunidades, desafios e implicações ainda não plenamente conhecidos”.

Para colher esses benefícios, o documento defende que os países terão que “adotar políticas que sejam propícias à experimentação e inovação ao mesmo tempo que mitiguem possíveis riscos à segurança, privacidade e emprego”.

Índice global

A Islândia lidera o Índice de Desenvolvimento de Tecnologia da Informação e Comunicação, IDI, da UIT em 2017. O país ocupava a segunda posição no ano passado.

Coreia do Sul, Suíça, Dinamarca e Reino Unido completam as primeiras colocações da lista este ano.

Lusófonos

O país lusófono melhor colocado no IDI 2017 é Portugal, na 44ª posição, a mesma do ano passado, seguido do Brasil em 66º e Cabo Verde em 93º.

Em 122º lugar está Timor-Leste. São Tomé e Príncipe aparece em 132º, Moçambique em 150º, Angola em 160º e a Guiné-Bissau na 173ª posição.

A região de Macau, na China, aparece em 26º no índice.

Regiões

Há “diferenças consideráveis” entre as regiões do mundo no que diz respeito aos índices de desenvolvimento na área de tecnologia da informação e comunicação.

Segundo o documento da UIT há também grandes diferenças entre os países de cada região e estas são associadas principalmente com os níveis de desenvolvimento econômico.

Américas

Os Estados Unidos e o Canadá lideram o Índice de Desenvolvimento de tecnologia da informação e comunicação, IDI, 2017 da UIT na região das Américas.

Segundo o relatório, o Brasil é um dos maiores mercados de telecomunicações da região. A expectativa é que a qualidade e a cobertura dos serviços melhorem “significativamente” nos próximos anos.

África e Europa

Entre as regiões do mundo, a Europa tem a média mais alta no IDI 2017. As maiores melhorias no índice foram registradas em Chipre e na Turquia.

Segundo o documento, o mercado de telecomunicação em Portugal tem visto um “desenvolvimento positivo”.

Na 72ª posição, as Ilhas Maurício são o país africano melhor colocado no índice.  O continente também abriga dois dos países com as “melhoras mais dinâmicas” nos valores de seus IDI durante o ano: Namíbia e Gabão.

Mundo melhor

O chefe da UIT, Houlin Zhao, afirmou que as tecnologias de informação e comunicação, Tics, têm o “potencial de fazer do mundo um lugar melhor e contribuir imensamente para o desenvolvimento sustentável”.

No entanto, ele afirmou que apesar do progresso alcançado em geral, a “divisão digital permanece um desafio que precisa ser abordado”.

Notícias Relacionadas:

Empresas brasileiras analisam mudanças no setor espacial, afirma diplomata

Portugal busca parceria com China para centro de tecnologias combinadas

Guterres participa na conferência internacional tecnológica em Lisboa

Para cumprir a Agenda 2030, mundo precisa investir em ciência e tecnologia 

Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News 

Baixe o aplicativo/aplicação para  iOS ou Android

Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud