Dívida de Moçambique com Rússia será revertida em investimentos com PMA

13 novembro 2017

Cerca de U$D 40 milhões serão destinados ao Programa Mundial de Alimentação  para apoiar o Governo a fornecer refeições a 150 mil crianças nas escolas do país.

Ouri Pota, da ONU News em Maputo.

Uma parte da divída que Moçambique tem com a Rússia avaliada em U$D 40 milhões será investida em Mocambique no apoio alimentação escolar, dentro do programa nacional de alimentação escolar, Pronae.

O anúncio foi feito na semana passada num comunicado do Programa Mundial de Alimentação, PMA.

Iniciativa

Em conversa com a ONU News em Maputo, a representante e directora Nacional da agência em Moçambique, Karin Manente, elogiou a iniciativa, que considera inovadora.

"A parte da dívida que está direcionada a este propósito são U$D 40 milhões. É uma forma de financiar inovadora que não tem sido feito em tamanha escala. Os fundos  através do PMA vão apoiar o Ministério de Educação, por um lado na compra de comida por outro lado na capacitação. A capacitação vai ser de forma que no futuro dentro de cinco anos, os próprios distritos e escolas vão poder comprar a comida e prestar a conta”

Karin Manente considera que a iniciativa entre Governo moçambicano e a Rússsia  vai contribuir também para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

Escolas

“Aquelas crianças não vão sofrer tanto, não vão ter tanto impacto na area de nutrição e desnutrição. O programa é baseado nas compras locais, os fundos são alocados aos distritos e as escolas para que elas comprem localmente os produtos, então também há investimento na economia local, isso faz parte da segurança alimentar como um todo, como se o mercado local vai se dinamizando o apoio é maior, então está dentro do ODS número 2.”

A representante também destacou o Objetivos de Desenvolvimento Sustentável número 4, o dedicado à educação de qualidade.

"Realmente ajuda a assiduidade, o desempenho das escolas porque traz as crianças nas escolas, mantêm elas nas escolas, e ajuda na concentração delas. Está comprovado que a criança que vai para escola com fome não se concentra tão bem nas aulas, então o nível de desempenho aumenta”

A implemetanção da reversão dos valores da divída de Moçambique com a Rússia terá inicio na provincias de Gaza, Tete e Nampula locais onde o Pronae já está activo.

Em Moçambique, a segurança alimentar atinge 24% da população enquanto que a desnutrição crónica nas crianças abaixo dos 5 anos esta em 43% .

O PMA e os seus parceiros estão a trabalhar para garantir que as crianças nas zonas com insegurança alimentar crónica tenham acesso a alimentos nutritivos.

Notícias Relacionadas: 

Moçambique : A educação é uma ferramenta para erradicação da pobreza 

Angola e Moçambique devem ultrapassar média africana em aumento de jovens 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud