Guterres encerra visita à República Centro-Africana falando ao Parlamento
BR

27 outubro 2017

Secretário-geral discursou na Assembleia Nacional do país, encontrou-se com jovens e mulheres, e concedeu última entrevista a jornalistas após chegar ao país em 24 de outubro.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, encerrou nesta sexta-feira sua visita oficial à República Centro-Africana.

Logo de manhã, ele discursou na Assembleia Nacional do país, encontrou-se com jovens e mulheres e deve falar a jornalistas antes de iniciar seu caminho de retorno a Nova Iorque.

Proteção de civis

António Guterres chegou à República Centro-Africana em 24 de outubro para passar o Dia da ONU com boinas-azuis numa operação de paz.

Nesta entrevista à ONU News, realizada pelo repórter Vladimir Monteiro, Guterres comentou a decisão de homenagear as forças da organização.

“Primeiro gesto de solidariedade com as forças de manutenção da paz das Nações Unidas, com os capacetes azuis. Soube que tive a ocasião de ir a Bangassou, onde 12 foram mortos, recentemente. E exprimi toda a solidariedade e todo o orgulho que tenho em pertencer a mesma organização, onde esta gente sacrifica as suas vidas para proteção dos civis, em circunstâncias tão dramáticas como as que pude presenciar.”

O chefe da ONU descreveu ainda sua solidariedade com o povo centro-africano como a razão da visita. Segundo ele, é hora de o país virar a página e começar a construir um futuro de paz e prosperidade para todos.

Esperança

Durante a viagem, Guterres foi a Bangassou, uma das áreas mais afetadas pelos confrontos, e ouviu de perto o drama dos deslocados internos pela violência entre as facções cristã anti-Balaka e a muçulmana, ex-Seleka. Ao todo, 600 mil pessoas já fugiram de suas casas desde o início dos combates em 2013.

Na entrevista à ONU News, Guterres afirmou deixar o país com esperança de um futuro melhor.

“Com esperança. Acho que os encontros que tive com o presidente, os encontros que tive com toda a equipe das Nações Unidas dão-me esperança de que seja possível a República Centro-Africana virar a página e encaminhar-se, finalmente, para uma trajetória de paz e para uma trajetória de progresso que permita ao povo centro-africano beneficiar daqueles coisas mais elementares a que todos nós estamos habituados que quase não compreendemos quando vemos que ainda há quem não possa usufruir desses bens como é o caso da maioria da população desse país.

O líder da ONU também se reuniu com o presidente do país, Faustian Archange Touadera, na capital Bangui.  O presidente centro-africano disse ter pedido ajuda para resolver a crise e avançar com o país.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud