Ataque que matou três boinas-azuis no Mali pode ser crime de guerra
BR

26 outubro 2017

Em nota, António Guterres expressou condolências ao governo do Chade e às vítimas e disse que atentados como esse não afetarão a determinação da ONU em apoiar o Mali.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU condenou nos mais fortes termos o ataque realizado nesta quinta-feira a um comboio da Missão da ONU no Mali, Minusma.

O atentado, na região de Kidal, matou três boinas-azuis do Chade e deixou dois feridos.

Crimes de guerra

Em nota, emitida pelo seu porta-voz, António Guterres, enviou condolências ao governo do Chade e expressou seus sentimentos às famílias das vítimas. O secretário-geral também desejou uma pronta recuperação aos feridos.

Segundo a ONU, as forças de paz estavam num comboio de logística que se deslocava de Tessalit para Aguelhok.

Guterres lembrou que ataques a boinas-azuis da ONU podem ser considerados crimes de guerra de acordo com a lei internacional. Ele afirmou que os autores devem ser levados rapidamente à justiça.

O secretário-geral pediu ao governo e aos grupos armados que firmaram o acordo de paz para o Mali, que acelerem a sua implementação.

Ele encerrou a nota afirmando que ataques como esse não irão afetar a determinação das Nações Unidas em apoiar o povo maliano e seu anseio pela paz.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud