Acnur apoia refugiados e comunidades locais no norte da Guiné-Bissau

26 outubro 2017

Prioridades da agência são dar acesso a meios de subsistência e nutrição adequada; série de fatores é essencial para a segurança e o bem-estar dos que foram obrigados a fugir do Senegal; Acnur opera na Guiné-Bissau desde 2010.

Amatijane Candé, de Bissau para a ONU News.  

O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, Acnur, apoia as populações rurais de mais de meia centena de aldeias na região de Cacheu, norte da Guiné-Bissau, na criação de planos sustentáveis de subsistência rural.

Cerca de 9 mil refugiados do Senegal vivem na região limítrofe, segundo dados oficiais.

Intervenções

No âmbito de promoção da recuperação económica e autossuficiência dos refugiados e comunidades locais, o Acnur financiou também o relançamento da horticultura através de construção de poços para a jardinagem e distribuição de sementes.

Em declarações à ONU News, a responsável da agência para Soluções Duráveis, Janaína Galvão, disse que este ano 12 comunidades já beneficiaram de sementes e cerca de 6 mil ferramentas para as atividades hortícolas.

“Distribuímos mais de uma tonelada de sementes para atividades de horticultura, construímos 34 poços para jardinagem, distribuímos 23 motorizadas para facilitar o aceso aos mercados locais, 29 descascadoras de arroz para liberar as mulheres do trabalho manual pesado. Inúmeros treinamentos também foram oferecidos nesta área”.

Perspetivas

Outros apoios do Alto Comissariado às comunidades do norte são: a criação de grupos de poupança comunitária, acesso a treinamentos vocacionais e subvenções em dinheiro para atividades geradoras de rendimento.

A responsável realçou o mandato do Acnur à luz da cooperação com o governo guineense.

“Depois de fugir de guerra ou perseguição, a oportunidade de trabalhar e ganhar a vida é uma das formas mais eficazes das pessoas reconstruírem suas vidas com dignidade e em paz. O Acnur ajuda as pessoas deslocadas a se tornar independentes, desenvolver suas habilidades e conhecimentos e facilitar o acesso aos recursos, formações, bens, serviços e mercados”.

Integração

Apesar do número de beneficiários fugidos de confrontos no sul do Senegal, não existem campos de refugiados no norte do país.

Refugiados foram absorvidos pelas comunidades locais com os quais partilham os mesmos valores étnicos ou culturais.

A intervenção da agência está alinhada à declaração de Nova Iorque para refugiados e migrantes, um conjunto de compromissos adotado pela Assembleia Geral da ONU em 2016.

Os  Estados-membros reafirmam a importância do regime internacional dos refugiados, através do fortalecimento e do aperfeiçoamento dos mecanismos da sua proteção.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud