OMS rescinde nomeação de Robert Mugabe como embaixador da Boa Vontade
BR

22 outubro 2017

Decisão foi anunciada em comunicado da Organização Mundial da Saúde, em Genebra; presidente do Zimbábue havia sido nomeado como embaixador para doenças crônicas na África para ajudar a impulsionar um movimento global a favor da saúde, planejado pela agência.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde, Tedros Adhanom Ghebreyesus, rescindiu a nomeação do presidente do Zimbábue, Robert Mugabe, como embaixador da Boa Vontade da OMS.

Em comunicado, Ghebreyesus explicou que seu objetivo é construir pontes e criar um movimento global pela saúde.

Interesse

Ele afirma que ouviu atentamente as preocupações expressas após a nomeação do líder africano e que também as discutiu com o governo do Zimmbábue antes de anunciar a decisão.

Segundo ele, ambas as partes concluíram que a decisão serve ao interesse da OMS.

Ghebreyesus disse ter refletido sobre o tema nos últimos dias. Mugabe havia sido escolhido como embaixador da Boa Vontade para doenças crônicas na África.

O diretor-geral disse que é o objetivo dele construir um movimento pela saúde global. E que a iniciativa deve funcionar para todos e incluir todos.

Valores centrais

Para o chefe da OMS, o importante é construir uma liderança política e criar união sobre o tema de levar saúde a todos que seja baseado nos valores centrais da agência.

Ele encerrou o comunicado dizendo continuar comprometido com todos os países e líderes a assegurar que cada cidadão tenha acesso à saúde. E que seu dever é construir pontes para ajudar avançar a cobertura universal de saúde.

Ghebreyesus agradeceu a todos que expressaram suas opiniões e disse contar com um debate construtivo para ajudar a informar sobre o trabalho para o qual foi eleito.