Cerca de 12 mil crianças rohingya fogem para o Bangladesh por semana
BR

20 outubro 2017

Unicef destaca condições precárias, iminente surto de diarreia e outras doenças transmitidas pela água; cerca de 600 mil refugiados rohingya fugiram do estado de Rakhine, no norte de Mianmar.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, estima que 340 mil crianças rohingya estejam a viver em condições precárias e expostas a doenças transmitidas pela água em acampamentos de Bangladesh.

Esta sexta-feira, a agência lançou o relatório “Excluídas e Desesperadas: crianças refugiadas rohyngya enfrentam um futuro perigoso”, em tradução livre. O estudo revela que nesses locais falta comida, água limpa e cuidados de saúde.

Traumatizadas

A cada semana mais de 12 mil crianças entram para o território bengalês fugidas da violência ou da fome em Mianmar. Muitas vezes, estas apresentam-se traumatizadas devido às atrocidades que testemunharam no seu país.

Desde 25 de agosto, cerca de 600 mil refugiados rohingya já deixaram o estado de Rakhine, no norte de Mianmar, na sequência da operação de forças do Exército e de ataques de insurgentes.

Antes da conferência de doadores de segunda-feira, em Genebra, o Unicef disse precisar de  US$ 76 milhões como parte do apelo de US$ 434 milhões lançado pela ONU para beneficiar os refugiados rohingya em seis meses. O pedido foi financiado em 7%.

Emergências

De acordo com o diretor executivo do Unicef, Anthony Lake,  as crianças precisam urgentemente de alimentos, água potável, saneamento e vacinas para protegê-las de doenças que se espalham em emergências.

Um possível surto de diarreia e outras doenças transmitidas pela água ameaçam os refugiados rohingya. As crianças compõem quase 60% dos últimos a chegar ao Bangladesh, que estão entre 1,2 mil e 1,8 mil pessoas por dia.

Entretanto, a Agência da ONU para Refugiados, Acnur, anunciou que milhares de cidadãos vindos do Mianmar foram admitidos na noite de quinta-feira em Bangladesh após terem passado até quatro dias retidos perto da fronteira.

Guardas da fronteira bengalesa confirmaram a passagem de mais de 6,8 mil refugiados pela vila fronteiriça de Anjuman em direção ao distrito de Cox’s Bazar. Outros milhares estariam ainda a caminho do país vindos de Mianmar.

A ação da agência e seus parceiros inclui a oferta de alimentos, água, exames médicos e abrigos temporários.

Notícias relacionadas:

Subsecretário-geral da ONU para Assuntos Políticos conclui visita a Mianmar

Até 15 mil refugiados à espera de passagem entre Bangladesh e Myanmar

Representantes da ONU pedem solidariedade global a refugiados rohingya

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud