Acnur começa coleta de dados de refugiados rohingya em Bangladesh
BR

13 outubro 2017

Objetivo é que governo e outras agências saibam mais sobre os deslocados com necessidades especiais; conferência de doadores para crise está sendo organizada para 23 de outubro em Genebra; objetivo é levantar US$ 434 milhões para assistência imediata.

Foto: Acnur/ Roger Arnold

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, está trabalhando com o governo de Bangladesh na primeira etapa de um novo exercício de “contagem familiar” para coletar dados sobre os cerca de 536 mil refugiados recém-chegados de Mianmar e suas necessidades.

Segundo o Acnur, a iniciativa permite que o governo, o Acnur e outras agências saibam mais sobre os deslocados e onde eles estão e é também essencial para localizar refugiados com necessidades especiais como crianças ou idosos desacompanhados, pessoas com deficiências e mulheres sozinhas com bebês.

Ajuda aérea

O Acnur continua aumentando a escala da assistência entregue na região bengalesa de Cox’s Bazar. Nas últimas quatro semanas, a agência organizou sete carregamentos aéreos, levando cerca de 700 toneladas de assistência vital.

Outros aviões humanitários do Acnur estão agendados para chegar a Bangladesh no próximo mês.

Conferência de doadores

Ao mesmo tempo, preparativos estão sendo feitos em Genebra para uma conferência de doadores em apoio ao Plano Conjunto de Resposta que será realizada em 23 de outubro. O encontro é organizado pelo Acnur, pela a Agência da ONU para Migrações, OIM, e pelo o Escritório da ONU para a Coordenação da Assuntos Humanitários, Ocha, em parceria com a União Europeia e o Kuwait.

O objetivo da conferência é levantar US$ 434 milhões para assistência imediata a refugiados rohingya em Bangladesh e às comunidades locais que os estão abrigando.

Notícias Relacionadas:

Estudo revela ataques para impedir retorno da minoria rohingya ao Mianmar

OMS: vacinação contra cólera em Bangladesh é a 2ª. maior do mundo

Abusos contra os rohingya "podem ser crimes contra a humanidade" 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud