Crise de nutrição ameaça vida e futuro de milhares de crianças no Mali

9 outubro 2017

Unicef  defende haver milhares de menores de idade  vulneráveis e esquecidos; Cerca de 165 mil crianças poderão sofrer de desnutrição aguda grave em todo o país em 2018.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

No Mali, há uma crise de nutrição agravada pela violência contínua, a instabilidade e deslocamento que ameaça a vida e o futuro de milhares de crianças, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Os dados publicados pela chamada pesquisa Smart de 2017,  abreviatura para Monitoramento Padrão e Avaliação de Alívio e Transições, revelam que o país da África Ocidental tem níveis críticos de desnutrição aguda entre crianças menores de cinco anos.

Timbuktu e Gao

Nas áreas de Timbuktu, esse índice chega a 15,7% e em Gao a 15,2%  um cenário que passou de grave para crítico na escala da Organização Mundial da Saúde. As cidades do norte são as mais afetadas pelo conflito desde 2012.

A representante do Unicef no Mali,  Lucia Elmi, disse que por detrás desses números estão vidas de meninas e meninos mais vulneráveis e esquecidos.

Desnutrição aguda grave

A estimativa da agência é que 165 mil crianças possam sofrer de desnutrição aguda grave em todo o país em 2018.

Os sintomas são perda muscular grave, peso muito baixo para a altura e uma propensão nove vezes maior de morrer por doença devido a um sistema imunológico fraco.

Elmi pediu apoio essencial e que se garanta que cada uma delas recupere completamente.

Notícias relacionadas:

TPI determina indemnização de € 2,7 milhões por destruição em Timbuktu

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud