ONU ajuda a preparar abrigo para iraquianos que fogem da ofensiva contra Isil

4 outubro 2017

Confrontos na cidade de Hawiga fizeram fugir mais de 12,5 mil pessoas em duas semanas; mais deslocados são esperados nos próximos dois dias; novos combates no oeste de Anbar fizeram 8,5 mil novos deslocados.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O Escritório das Nações Unidas para os Assuntos Humanitários, Ocha,  preparou um novo espaço para acolher cerca de 72 mil pessoas que fogem das operações militares para retomar a cidade de Hawiga no Iraque.

Confrontos contra o grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante, Isil, já deslocaram pelo menos 12,5 mil pessoas em duas semanas. Na contagem desta segunda-feira, havia cerca de 70% de deslocados a mais em relação aos primeiros sete dias.

Combates

Até quinta-feira, espera-se que mais pessoas abandonem as suas casas por causa do alastramento dos combates para áreas mais densamente povoadas em Hawiga, que atualmente deve ter até 78 mil habitantes.

A preocupação do Ocha é “com a vida e com o bem-estar dos civis vulneráveis” da área, daí o apelo para a sua proteção “em todos os momentos para que possam deixar Hawiga com segurança”.

No terreno, atuam parceiros humanitários em vários postos que acompanham a situação para que ajudem aos deslocados, abriguem e prestem outro tipo de assistência em áreas de emergência.

A maioria das pessoas deixa a zona de conflito para a cidade ocidental de Salah-al Din. Várias delas chegam a caminhar 12 horas, em jornadas que incluem nadar no rio Zab Inferior para chegar aos locais mais seguros.

Anbar

Em nota separada, a Organização Internacional para Migrações, OIM, revelou que 8,5 mil pessoas deixaram recentemente as suas casas devido às operações militares lançadas a 19 de setembro no oeste de Anbar.

Um total de 1,4 mil famílias foi obrigado a deslocar-se da mais extensa província do Iraque devido à ofensiva contra o Isil nas últimas duas semanas.

Muitas famílias caminham longas distâncias, por vários dias, e frequentemente debaixo do calor intenso até que cheguem a áreas seguras. A maioria dos recém-deslocados são crianças, mulheres e pessoas idosas.

Entre 1º de janeiro e 2 de outubro a agência identificou mais de 54,5 mil deslocados do oeste de Anbar, em particular nos distritos de Ana, Al Ka'im e Ra'ua.

Notícias relacionadas:

Assembleia Geral da ONU analisa plano para combater tráfico humano

Iraque: execução de 42 presos preocupa chefe de Direitos Humanos da ONU

Conselho da ONU aprova investigação a supostos crimes de guerra do Isil

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud