ONU lembra Mahatma Gandhi: “somente soluções políticas vão calar as armas”
BR

2 outubro 2017

Homenagem marcou os 148 anos do nascimento do líder e pacifista indiano; secretário-geral cita a importância da razão e do respeito “em momentos de ódio a refugiados, migrantes e minorias” em Dia Internacional da Não-violência.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral das Nações Unidas destacou que em “momento de conflitos múltiplos somente soluções políticas vão calar as armas”.

A mensagem de António Guterres foi apresentada esta segunda-feira pela sua chefe do Gabinete, Maria Luiza Ribeiro Viotti, em cerimónia que marcou o Dia Internacional da Não-violência na sede da organização em Nova Iorque.

Minorias

O pronunciamento destaca que “em momento em que alguns espalham o ódio a refugiados, migrantes e minorias é preciso que sejam ouvidas vozes da razão e do respeito”.

O evento assinalou os 148 anos de nascimento de Mahatma Gandhi, líder do movimento de independência indiano e pioneiro da filosofia e estratégia de não-violência.

A mensagem do chefe da ONU sublinhou que “todos têm o dever de defender a tolerância e trabalhar para dar substância à cultura de paz” e realçou que “não se pode derrotar a violência com mais violência”.

Compromisso

O pronunciamento sublinhou ainda que deve-se acabar com os ciclos de injustiça e de conflitos armados respondendo com o compromisso ao Estado de direito e mais entendimento.

Como exemplos do empenho da ONU com a causa da não-violência, a mensagem destacou que esse é o espírito do Instituto Mahatma Gandhi de Educação para a Paz e Desenvolvimento Sustentável e da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco.

Este ano, a agência inscreveu a cidade indiana de Ahmedabad, antiga capital do estado indiano de Gujarat, na sua lista do Património Mundial em Perigo. A área foi uma das que foi usada em campanhas promovidas por Gandhi.

Xenofobia e  discriminação

As Nações Unidas destacam ainda o seu compromisso com a abstenção da violência através da campanha “Juntos”. A iniciativa promove “o respeito, segurança e dignidade para refugiados e migrantes e pretende travar o aumento da xenofobia e da discriminação”.

A mensagem da ONU destacou que a não-violência impulsiona o trabalho da organização “todos os dias e em todos os lugares pela digualdade, pelo empoderamento e pela cidadania global”.

O Dia Internacional da Não-violência foi proclamado pela Assembleia Geral em 2007, como uma ocasião para “disseminar a mensagem de não-violência, através da educação e do aumento da consciência pública”.

A resolução reafirma “a relevância universal do princípio da não-violência” e o desejo de “garantir uma cultura de paz, tolerância, compreensão e não-violência”.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud