Número de refugiados rohingya em Bangladesh passa de meio milhão
BR

29 setembro 2017

Acnur cita últimas estimativas de que 501 mil pessoas fugindo da onda de violência em Mianmar teriam atravessado a fronteira até quinta-feira; Unicef anunciou plano de criação de mais 1,3 mil centros de aprendizagem para crianças.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Passa de 500 mil o número de rohingyas que chegaram a Bangladesh fugindo da recente onda de violência em Mianmar. O Conselho de Segurança das Nações Unidas discutiu a questão na quinta-feira. Para o secretário-geral da ONU, António Guterres, a crise de refugiados rohingya é um “pesadelo humanitário e de direitos humanos”.

Em uma ação enorme para reduzir o tempo em que os deslocados ficam ao ar livre, a Agência da ONU para Refugiados, Acnur, começou a distribuir nessa semana itens para abrigos e outros suprimentos essenciais na entrada de assentamentos em Bangladesh.

Fronteira

Parceiros da agência também estão entregando suprimentos aos refugiados assim que entram no país. Segundo o Acnur, isto reduzirá o tempo em que os deslocados, já traumatizados pelos motivos que os levaram a fugir e as difíceis viagens, passarão ao ar livre.

A medida também deve reduzir doenças, desnutrição e a ameaça de surtos de doenças contagiosas.

Educação

Já o Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, anunciou nesta sexta-feira o plano de criar mais de 1,3 mil centros de aprendizagem para crianças rohingya que fugiram de Mianmar para o vizinho Bangladesh.

Atualmente, agência está gerenciando 182 centros em campos e assentamentos improvisados em Cox’s Bazar com 15 mil crianças matriculadas. O objetivo é aumentar o número de centros de aprendizagem para 1,5 mil e chegar a 200 mil crianças no próximo ano.

O chefe do Programa Mundial de Alimentos, PMA, David Beasley, começa nesta sexta-feira uma visita de quatro dias ao Bangladesh. O objetivo é ver em primeira mão como o país está lidando com a crise humanitária na fronteira com Mianmar.

Naufrágio

A Organização Internacional para Migrações, OIM, informou que um barco lotado com cerca de 100 rohingyas tentando desesperadamente fugir da violência em Mianmar naufragou na Baía de Bengala na noite de quinta-feira a caminho de Bangladesh.

Vinte e três pessoas morreram, incluindo 15 crianças. Uma equipe da OIM no terreno viajou imediatamente ao local para prestar assistência aos sobreviventes e avaliar que outras respostas seriam necessárias.

Notícias Relacionadas:

Acnur quer reforço na resposta humanitária à crise de refugiados rohingya

Acnur: crise dos rohingyas é uma das que cresce mais rápido nos últimos anos

Pelo menos 60% de rohingyas que fogem para Bangladesh são crianças

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud