Literacia no mundo digital marca evento do Dia Internacional da Alfabetização
BR

8 setembro 2017

Unesco quer quer maior reflexão sobre habilidades para aproveitar melhor as oportunidades oferecidas pelas tecnologias; pelo menos 750 milhões de pessoas não podem ler e nem escrever em todo o planeta.

Eleutério Guevane da ONU News em Nova Iorque.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, marcou o Dia Internacional da Alfabetização, este 8 de setembro, com uma conferência internacional em Paris que destacou a literacia no mundo digital.

A diretora-geral da agência lembrou que por tradição define-se a alfabetização como um conjunto de habilidades de leitura, escrita e contagem mas fez lembrar que o mundo digital exige novas capacidades.

Níveis 

Irina Bokova falava na reunião de mais de 200 representantes de todo o planeta que discutiram como a tecnologia pode ajudar a aumentar os níveis de alfabetização e promover as habilidades para o século 21.

A Unesco estima que 750 milhões de pessoas são analfabetas no mundo, e que 63% delas são mulheres sem habilidades básicas de leitura e escrita.

O número inclui 102 milhões de jovens de idades compreendidas entre os 15 e os 24 anos, dos quais 57% são do sexo feminino.

Bokova assinalou que as tecnologias digitais atravessam todas as esferas da vida atual moldando fundamentalmente a forma como “como vivemos, trabalhamos, aprendemos e socializamos.”

Mundo digital

Para a chefe da Unesco,  é importante repensar e melhorar as habilidades para participar do mundo digital onde essas novas tecnologias abrem inúmeras oportunidades para melhorar  vidas e acesso à conexão global.

O desafio é que várias pessoas sem habilidades essenciais e que precisam navegar nelas ficam marginalizadas.

A Unesco  proclamou a celebração em outubro de 1966 para lembrar os países sobre a importância da alfabetização para pessoas, comunidades e sociedades além de intensificar os esforços para alcançar essa meta.