Unesco condena assassinato de jornalista Indiana Gauri Lankesh
BR

7 setembro 2017

Repórter de 55 anos era editora e proprietária de um semanal Kannada-language, crítica de movimentos de extrema direita; ela foi morta a tiros na porta de casa no sul da Índia.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque*.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, condenou o assassinato da jornalista Gauri Lankesh, ocorrido em 5 de setembro.

A editora e proprietária do jornal semanal Kannada foi morta por pelo menos três pessoas na porta de casa, no estado de Bangaluru, ex-Bangalore, no sul da Índia.

Direito

Em nota, a diretora-geral da Unesco, Irina Bokova, afirmou que qualquer ataque à mídia é um atentado ao direito fundamental da liberdade de expressão de cada membro da sociedade.

Gauri Lankesh tinha 55 anos e fazia críticas a movimentos de extrema direita na Índia.

Segundo agências de notícias, ela já havia recebido ameaças de morte, mas não demonstrava nenhum medo.

A chefe da Unesco, Irina Bokova, pediu às autoridades indianas que assegurem que os autores do crime sejam levados à justiça e punidos.

*Apresentação: Eleutério Guevane.