RD Congo: novo serviço quer combater emergência alimentar em Kassai

22 agosto 2017

PMA atua com ONG World Vision na área afetada por conflitos que provocaram cerca de 1,4 milhão de deslocados; Angola acolhe mais de 31 mil pessoas que abandonaram a região congolesa.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

Um novo serviço de emergência pretende ajudar na segurança alimentar de 42 mil pessoas das províncias congolesas de Kassai.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, coordena a parceria com a ONG World Vision. A meta é beneficiar 25 mil habitantes da província de Kassai outros 17 mil em Kassai Central.

Evolução

A rápida evolução da insegurança alimentar na população deve-se ao movimento causado pelo conflito na área e pela invasão de culturas por lagartas no país.

A agência menciona Angola como destino de mais de 31 mil pessoas que abandonaram a região. Dentro do território congolês cerca de 1,4 milhão de deslocados estão a viver somente na região afetada.

Emergência

A nível nacional mais de 7,7 milhões de pessoas não têm o que comer na refeição seguinte. A falta de alimentos suficientes já deixou 1,5 milhão de congoleses no nível de "emergência", após venderem todos os seus bens e reduzido ou saltado algumas refeições.

O PMA, a FAO e outros parceiros precisam de  US$ 17,3 milhões para atender aos mais vulneráveis e apoiar a oferta de assistência a 250 mil pessoas de setembro e dezembro.

Além da distribuição alimentar, a agência coordena a logística e o apoio técnico às entidades humanitárias que atuam na área da República Democrática do Congo desde junho.

Armazéns móveis foram construídos para guardar bens humanitários e vários camiões para transporta-los para Kassai e Kassai Central.

Notícias relacionadas:

Mais de 7 milhões de pessoas passam fome na RD Congo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud