PMA: distribuições emergenciais de comida para ajudar milhares na RD Congo

17 agosto 2017

Agência da ONU e parceiro lançaram operação de emergência para fornecer assistência alimentar a 42 mil pessoas obrigadas a sair de suas aldeias nas províncias dos Kassais; mais de 31 mil pessoas da região fugiram para a nação vizinha, Angola.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

O Programa Mundial de Alimentação, PMA, e seu parceiro, a instituição World Vision, lançaram uma operação de emergência para fornecer assistência a 42 mil pessoas em situação de insegurança alimentar na República Democrática do Congo.

Estes indivíduos fugiram de suas aldeias devido ao conflito nas províncias de Kassai e Kassai Central. Em nota, o representante do PMA no país africano declarou que a resposta de emergência foi lançada assim que os recursos se tornaram disponíveis.

População vulnerável

Claude Jibidar afirmou que o público-alvo da agência da ONU são os “mais vulneráveis entre os mais vulneráveis” e que o acesso aos deslocados também depende das condições de segurança.

O plano do PMA é prestar assistência a 17 mil deslocados em Kassai e 25 mil em Kassai Central nos próximos dias. O Programa precisa de US$ 17,3 milhões para apoiar o aumento das operações entre setembro e dezembro deste ano.

Distribuição de comida começou na cidade de Tshilumba e outras ações estão agendadas para este mês.

Como parte da resposta, e onde o acesso seguro é possível, o PMA e a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, FAO, continuam a identificar os deslocados mais vulneráveis em áreas com altos índices de insegurança alimentar.

Comida

De acordo com sua recente avaliação sobre a questão, o PMA afirmou que no último ano, o número de pessoas que precisam urgentemente de assistência alimentar na República Democrática do Congo cresceu em 1,8 milhão, de 5,9 milhões para 7,7 milhões.

Além das distribuições de comida, a agência está a liderar o grupo de logística que fornece apoio a instituições humanitárias que tem atuado na região de Kassai desde junho.

Entregas aéreas

Para atender às enormes necessidades das pessoas deslocadas em áreas de difícil acesso, o Serviço Aéreo Humanitário da ONU, liderado pelo PMA, aumentou seu apoio, posicionando uma aeronave permanentemente em Kanaga, em Kassai Central.

O aparelho faz três voos semanais a Tshikapa, no Kassai, a tornar as pessoas que mais precisam mais acessíveis às instituições humanitárias.

Angola

Muitas pessoas se viram obrigadas a fugir de suas aldeias devido ao conflito que eclodiu na região de Kassai em agosto de 2016.

De acordo com o Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, Ocha, há cerca de 1,4 milhão de pessoas deslocadas nos Kassais. Além destas, mais de 31 mil fugiram para a nação vizinha, Angola.

Notícias Relacionadas:

ONU apoia Angola na transferência de milhares de refugiados congoleses

Mais de 7 milhões de pessoas passam fome na RD Congo

Crianças são maioria das vítimas da violência nos Kassais na RD do Congo

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud