Especial da Juventude: O que querem alguns jovens em Moçambique?

12 agosto 2017

Progressão na carreira, reflexão sobre a identidade de ser moçambicano são alguns dos sonhos apresentados pelos jovens entrevistados pela ONU News.

Ouri Pota da ONU News em Maputo.

Neste Dia Internacional da Juventude, alguns jovens refletem sobre a efeméride com vista a encontrar soluções sobre as necessidades que lhes preocupam. A ONU News ouviu, em Maputo, a oceanógrafa e flautista, Catarina Rombe. Ela destacou que os jovens não devem perder a esperança de levar avante os seus projetos.

“O meu maior sonho como jovem é tornar-me uma profissional de alto nível tanto na oceanografia como em música, neste caso falo da flauta. Para os jovens eu desejo que eles não parem de sonhar, por mais que o sonho pareça impossível ou inalcançável, mas que seja possível esse é meu desejo para todos. Feliz Dia Mundial de Jovens”.

Reflexão

Já o bailarino e coreográfo, Idío Chichava, apela à juventude moçambicana a uma reflexão sobre a questão da identidade de cada um, conhecer-se a si mesmo.

“Eu gostaria de endereçar aos jovens que tenham um momento de reflexão, de procura da sua própria identidade, principalmente os jovens moçambicanos. Para saber quem eles são, têm que conhecer a história, têm que ler muito, investigar sobre o ser moçambicano”.

Dados das Nações Unidas indicam que a nível global os jovens representam 18% da população ou seja 1,2 mil milhões de pessoas. Deste número 87% dos jovens vivem em países em desenvolvimento enfrentando desafios trazidos pelo acesso limitado a recursos, a cuidados de saúde, educação e emprego.