Projeto agrícola no Quénia deve atender 60 mil famílias no oeste do país

28 julho 2017

Iniciativa do Banco Mundial e do governo queniano, iniciada em 2009, ajuda a mitigar os efeitos de secas prolongadas e de estações inesperadas de chuvas em províncias do oeste e em Nyanza, no sudeste do país.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.*

O Banco Mundial e o Governo do Quénia esperam atender dezenas de milhares de famílias numa parceria para beneficiar pequenos agricultores no oeste do país.

Os desafios da mudança climática têm agravado a situação e afetado o sustento de milhares de quenianos que dependem das plantações e das colheitas.

Recursos

A iniciativa de gerenciamento sustentável das terras agrícolas no Quénia, começou em 2009, e tem como objetivo mitigar os efeitos arrasadores de secas e cheias que destruíram os campos para pequenos produtores.

Uma das maiores dificuldades é a falta de conhecimento e recursos em face a um ambiente cada vez mais em mutação. O projeto do Fundo de BioCarbono, do Banco Mundial, conta com o apoio da ONG Vi Agroforestry, da Suécia, e gerencia uma área de 45 mil hectares de terra.

Até agora, a coperação tem surtido efeito com treinamento de produtores e uma colheita de milho que levou a mais do dobro da anterior, gerando mais renda para os agricultores.

O Fundo de BioCarbono é uma iniciativa público-privada que, na última década, dedicou US$ 90 milhões a mais de 20 projetos que recuperaram 470 mil hectares de terras no mundo.

*Apresentação:  Laura Gelbert

Notícias Relacionadas: 

 Vítimas de insegurança alimentar aumentam para 16 milhões na África Oriental

 Iniciativa de telefonia móvel ajuda a combater fome no Quénia

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud