Cólera: OIM apoia combate a surto que infetou mais de 17 mil no Sudão do Sul

27 julho 2017

Ações preventivas e para tratar pacientes pretendem melhorar sistemas de drenagem e reabilitar estradas; agência alerta que carências não têm precedentes.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

A Organização Internacional para Migrações, OIM,  enviou profissionais que oferecem serviços de saúde, água, saneamento e higiene em resposta ao surto de cólera no Sudão do Sul.

As ações de tratamento e as medidas preventivas incluem melhorar sistemas de drenagem e reabilitar estradas. A meta é que os deslocados passem a ter  novas condições de vida e sejam evitadas inundações durante a estação chuvosa.

Mortos

O surto de cólera já provocou mais 320 mortos entre os 17,2 mil casos suspeitos registados desde o seu início, em junho de 2016.

O país está perante o que a agência da ONU chama de “crise humanitária arrasadora” que levou mais de 7,5 milhões de pessoas a precisar de ajuda.

Para a OIM, a dimensão das necessidades não tem precedentes quando cerca de um terço dos cidadãos do país vivem longe das suas casas. No primeiro ano da crise uma em 12 pessoas estava nessa situação.

Cerca de 3,9 milhões de sul-sudaneses foram obrigados a deixar as suas casas, sendo 1,94 milhões deslocados internos e 1,93 milhão de pessoas abrigadas nos países vizinhos.

Notícias relacionadas:

Capacetes azuis buscam armas em acampamentos no Sudão do Sul 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud