Unicef: violência e conflito são fatores para fuga de crianças migrantes
BR

25 julho 2017

Estudo feito pela agência da ONU mostrou que casamento forçado é outro motivo para que meninas e jovens deixem seu país de origem.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou que 75% das crianças migrantes tomaram “sozinhas” a decisão de fugir de seu país de origem. A conclusão consta de um estudo divulgado esta terça-feira pela agência da ONU.

O documento diz que a violência e os conflitos são as principais razões para que os menores deixem suas casas. Um detalhe importante revela que 20% das meninas entrevistadas decidiram fugir por causa dos casamentos forçados.

Itália e Grécia

Segundo o Unicef, há uma diferença entre as crianças que estão indo para a Itália e para a Grécia. No caso da Grécia, elas estão acompanhando os pais ou foram mandadas por eles.

Isso já não acontece em relação à Itália, onde 93% dos menores migrantes viajam sozinhos sendo que os meninos adolescentes representam a maioria do grupo.

O estudo mostra que essa fuga do país de origem não indica uma vontade imediata de ir para a Europa. As crianças querem se distanciar dos perigos e muitas vezes enfrentam jornadas arriscadas em travessias pelo Mar Mediterrâneo.

Leão

Um menino de Gâmbia, recém chegado à Líbia, explicou bem a situação. Ele disse que era como se atrás dele tivesse um leão, representando a violência, e à frente o mar. Na sua opinião, a saída é o mar.

O objetivo do Unicef é que o estudo sirva de base para a preparação de um programa de resposta e para que as autoridades e governos compreendam melhor os fatores que levam crianças a viajarem para a Itália e para a Grécia.

No primeiro semestre deste ano, 12.239 crianças chegaram à Itália, sendo que mais de 90% estavam sozinhas.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud