Guterres deplora ataques suicidas que mataram oito na Nigéria

25 julho 2017

Pelo menos 15 pessoas ficaram feridas em atos suicidas atribuídos às milícias terroristas Boko Haram em Maiduguri; atentados foram feitos por mulheres; chefe das Nações Unidas reafirma apoio ao país contra terrorismo.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.*

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, condenou com veemência os ataques suicidas ocorridos em dois campos de deslocados internos situados próximos da cidade Maiduguri, no estado nigeriano de Borno.

Em nota, emitida esta terça-feira, o porta-voz do chefe da ONU defende que esses atos terroristas têm por alvo pessoas que já fugiram das suas casas como resultado da violência do grupo terrorista  Boko Haram. Mulheres suicidas foram usadas no atentado.

Responsáveis

Após expressar solidariedade ao povo e ao governo da Nigéria, o secretário-geral pediu que os responsáveis pelo “ato hediondo” sejam levados à justiça.

Testemunhas contaram a agências de notícias locais que pelo menos oito pessoas perderam a vida nos ataques que marcaram as primeiras grandes ações em acampamento de deslocados. O estado é considerado a região de origem do Boko Haram.

O primeiro ataque ocorreu perto da meia-noite de domingo na área situada na estrada Maiduguri-Barma e pelo menos 15 pessoas ficaram feridas. Horas depois,  duas suicidas atacaram o acampamento de Danbatta.

O secretário-geral reitera o apoio das Nações Unidas ao Governo da Nigéria no combate ao terrorismo e ao extremismo violento “no cumprimento do direito humanitário internacional, dos direitos humanos e dos refugiados.”

*Apresentação: Monica Grayley.

Notícias relacionadas:

Na Nigéria, vice-secretária-geral afirma que é preciso investir nas mulheres

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud