Ataque suicida deixa dezenas de vítimas no Afeganistão
BR

24 julho 2017

Atentado foi reinvindicado pelo Talebã; secretário-geral e Missão da ONU no país condenaram ação; segundo Unama, ataques suicidas são a principal causa de vítimas civis causadas por grupos anti-governo em 2017.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

O secretário-geral da ONU, António Guterres, condenou veementemente o “horrível ataque a bomba” nesta segunda-feira em Cabul, capital do Afeganistão. O Talebã assumiu a responsabilidade do atentado suicida.

Segundo a Missão de Assistência da ONU no Afeganistão, Unama, nesta manhã, um carro com explosivos foi detonado contra um ônibus onde estavam funcionários civis do governo. Mais de 20 passageiros e outras pessoas que estavam passando no local morreram. Pelo menos 40 ficaram feridos.

Crime de Guerra

Em nota, o vice-porta-voz do chefe da ONU, Farhan Haq, ressaltou que o uso deliberado de civis como alvo constitui uma grave violação de direitos humanos e da lei humanitária internacional e pode constituir crime de guerra.

O secretário-geral expressou suas condolências às famílias dos que morreram e desejou rápida recuperação aos feridos. Guterres reafirmou ainda a solidariedade das Nações Unidas com a população e o governo do Afeganistão.

Violência

A Missão de Assistência da ONU no Afeganistão, Unama, também condenou o ataque suicida na capital Cabul “no contexto de uma intensificação da violência impactando civis em todo o país”.

O vice-representante especial do secretário-geral no Afeganistão, e chefe interino da Unama, Pernille Kardel, afirmou que está “pessoalmente indignado” com todos os ataques a civis.

Kardel declarou que a detonação de outro grande explosivo em uma área civil movimentada é “escandalosa, covarde e desprovida de humanidade”.

Sofrimento e morte

No contexto de “tanto sofrimento e morte”, Kardel elogiou integrantes do Movimento Enlightment por escolherem lidar com sua ofensa resultante de um ataque no ano passado “através do diálogo e não da violência”.

Ele fez um apelo a todos que busquem formas pacíficas semelhantes de resolverem suas diferenças e elogiou a inicitava do governo de ouvir as preocupações de todos os afegãos.

Ataques suicidas e complexos têm sido até o momento a principal causa de vítimas civis causadas por grupos anti-governo em 2017, de acordo com um relatório da Unama divulgado na semana passada.

A Missão da ONU continua verificando relatos de mortes de civis, incluindo supostos ataques a funcionários e centros de saúde em Ghor e ataques aéreos em Nangarhar.

A Unama reiterou sua condenação a ataques em áreas com a presença de civis e fez um apelo a todas as partes do conflito para que parem de usá-los como alvos.

Notícias Relacionadas:

Conflito no Afeganistão deixa 5 mil mortos ou feridos em apenas seis meses

No Afeganistão, Guterres pede solidariedade aos deslocados por conflito

Clip: António Guterres em Cabul (em Inglês) 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud