Três anos após queda do voo MH17, ONU volta a pedir cooperação de países
BR

17 julho 2017

Avião da Malaysia Airlines saiu de Amsterdã em direção a Kuala Lumpur; queda ocorreu no leste da Ucrânia matando todas as 298 pessoas a bordo; em nota, secretário-geral pediu cooperação de todos os Estados para prestação de contas de acordo com resolução do Conselho de Segurança.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

No terceiro aniversário da tragédia com o voo MH17 da Malaysia Airlines, o secretário-geral da ONU, António Guterres, pediu a todos os países que cooperem plenamente com ações para estabelecer prestação de contas em conformidade com a resolução 2166 do Conselho de Segurança das Nações Unidas.

A resolução, adotada em 21 de julho de 2014, condena a derrubada da aeronave e pede uma "investigação completa, profunda e independente".

Queda

O voo ia da capital holandesa, Amsterdã, para Kuala Lumpur, na Malásia. A queda ocorreu no leste da Ucrânia, perto da fronteira com a Rússia. Todas as 298 pessoas a bordo morreram.

Após o incidente, a Organização Internacional de Aviação Civil, Icao, criou uma força-tarefa sobre os riscos de zonas de conflito para a aviação civil.

Em nota emitida por seu vice-porta-voz, o secretário reconhece desenvolvimentos recentes relacionados às ações de investigação. O comunicado afirma ainda que, neste dia em que a “tragédia do MH17” completa três anos, os pensamentos do secretário-geral estão com as famílias das vítimas.

Notícias Relacionadas:

MH17: "ONU sempre apoiou a busca da verdade" sobre acidente

Icao cria ações em resposta a riscos aéreos em zonas de conflito

Pillay diz que queda do voo MH17 pode ser “crime de guerra”

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud