Cólera, diarreia e desnutrição “mortais” para crianças em quatro países
BR

5 julho 2017

Fundo das Nações Unidas para Infância, Unicef, fez um alerta sobre situação no Iêmen, no Sudão do Sul, na Somália e no Sudão.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

O Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef, afirmou que “acesso, financiamento e segurança” são urgentemente necessários para assegurar que trabalhadores humanitários possam chegar a centenas de milhares de crianças sofrendo de cólera e diarreia no Iêmen, no Sudão do Sul, na Somália e no Sudão.

O porta-voz da agência da ONU, Christophe Boulierac, disse a jornalistas em Genebra na terça-feira que além dessas doenças, índices crescentes de desnutrição nestes países “poderiam ser mortais para crianças”.

Cólera

Segundo o porta-voz do Unicef, o Iêmen está enfrentando atualmente o pior surto de cólera do mundo, com mais de 260 mil casos suspeitos, metade destes em menores. Mais de 1,6 mil pessoas morreram.

A situação no Sudão do Sul também é muito preocupante. O atual surto da doença começou em junho do ano passado e pela primeira vez durou toda a temporada de seca. Há receios de que a epidemia possa piorar com a nova temporada de chuvas.

Christophe Boulierac informou que mais de 6,8 mil casos suspeitos de cólera foram registrados no Sudão do Sul até o momento este ano. Crianças e adolescentes representam cerca de 51% dos casos.  Além disso, quase 290 mil menores no país sofrem de desnutrição grave.

Resposta e desafios

Na Somália, cerca de 53 mil casos de cólera foram registrados, três vezes mais que no ano passado e 10 vezes mais que em 2015. Segundo o porta-voz, cerca de 1,4 milhão de crianças podem estar desnutridas, 275 mil delas de forma grave.

No Sudão, foram informados mais de 20 mil casos de diarreia aguda, com mais de 400 mortes. Boulierac afirmou que as crianças representam 20% da população atingida.

Para responder à situação, o Unicef, outras agências da ONU e parceiros humanitários aumentaram suas ações, mas estão enfrentando grandes desafios, incluindo acesso limitado e necessidade de recursos.

Notícias Relacionadas:

Conferência da FAO alerta para aumento da fome no mundo

Unicef: crise de desnutrição em quatro países está longe de acabar 

Apelo humanitário da ONU para 2017 sobe para US$ 23,5 bi 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud