O’Brien: 13,5 milhões têm suas vidas ameaçadas diariamente na Síria
BR

29 junho 2017

Alerta foi feito pelo subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários em pronunciamento no Conselho de Segurança; ele citou o desrespeito total dos envolvidos no conflito pelas “leis de guerra”.

Edgard Júnior, da ONU News em Nova Iorque.

O subsecretário-geral da ONU para Assuntos Humanitários, Stephen O’Brien, afirmou que 13,5 milhões de pessoas estão “presas numa crise de proteção” na Síria que ameaça diariamente suas vidas.

Em pronunciamento no Conselho de Segurança sobre a situação no país árabe, O’Brien alertou que o “que se tem visto é um desrespeito total dos envolvidos no conflito pelas “leis de guerra”.

Bombardeios

Segundo ele, os civis estão sujeitos a “terrível realidade” de bombardeios a escolas, hospitais e áreas residenciais todos os dias.

O representante da ONU explicou que quando uma bomba explode numa região povoada, os civis representam 92% das pessoas mortas ou feridas.

Todos os meses, a ONU e parceiros fazem o possível para entregar ajuda humanitária nas áreas mais necessitadas e apesar dos esforços, parte dos carregamentos é retirada dos comboios por tropas do governo ou da oposição.

Ele disse que, na maioria das vezes, o material retirado inclui remédios e outros suprimentos que podem salvar vidas.

Além disso, O’Brien declarou que as Nações Unidas e as organizações humanitárias continuam sofrendo atrasos ou sendo impedidas de levar assistência devido a restrições burocráticas.

Isil

O subsecretário-geral pediu a todas as partes envolvidas no conflito na Síria que permitam total acesso humanitário, com segurança e contínuo às pessoas que precisam de ajuda.

Segundo ele, existem hoje no país 11 áreas sitiadas, com uma população de 540 mil pessoas. Dessas, sete são controladas pelo governo sírio, uma está dividida pelo governo e por forças da oposição, duas outras pelos grupos de oposição e a última é controlada pelo Isil, o grupo terrorista Estado Islâmico do Iraque e do Levante.

O’Brien afirmou que a assinatura do memorando sobre a criação de áreas de segurança ocorrida em maio, gerou a oportunidade para melhorar a situação de muito civis na Síria.

Ao mesmo tempo, o representante da ONU disse que apesar disso, em algumas áreas a violência tem não só continuado, mas sofrido um aumento.

Notícias relacionadas:

Entrevista: educação para "formar novos líderes para reconstruir a Síria"

Enviado da ONU diz que violência diminuiu claramente na Síria

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud