No Dia Internacional das Viúvas, ONU lembra dessas “mulheres invisíveis”
BR

23 junho 2017

Nações Unidas avaliam que situação de milhões é dramática, já que em muitos países elas perdem seus direitos e sofrem abusos, além de perder seu lugar na sociedade após a morte do marido.

Leda Letra, da ONU News em Nova Iorque.

Esta sexta-feira, 23 de junho, é o Dia Internacional das Viúvas. As Nações Unidas afirmam que a data traz a chance de se promover os direitos de mulheres que são “invisíveis e ignoradas”.

A falta de dados em muitos países sobre as condições das viúvas é obstáculo para a criação de programas para diminuir a pobreza, a violência e a discriminação sofridas por essas mulheres.

Sem direitos

Segundo a ONU, faltam estatísticas que revelem a incidência do abuso sofrido por milhões de mulheres que perderam seus maridos. Em muitas situações, elas perdem seu direito à herança e à terra; são retiradas de suas casas; sofrem abusos físicos e algumas são até assassinadas.

A organização explica que em muitos países, uma mulher perde seu lugar na sociedade assim que seu marido morre. Para retomar seu status, ela é obrigada a se casar com um parente de seu marido.

Disputas

Na Índia, por exemplo, milhares de mulheres são forçadas pelos familiares a sair de casa e muitas acabam indo para o trabalho informal, tornam-se pedintes ou apelam à prostituição.

Na África e na Ásia, viúvas são vítimas de violência, incluindo abuso sexual, devido à disputa por herança ou propriedades. No leste da República Democrática do Congo, 50% das mulheres são viúvas. O Iraque tem cerca de 3 mulheres nesta condição.

Garantias

A ONU lembra que as crianças também são afetadas na parte emocional e econômica, já que muitas viúvas passam a sustentar suas famílias sozinhas e em alguns casos, precisam que seus filhos passem a contribuir com o orçamento doméstico.

Neste dia internacional, a ONU pede aos governos para garantir os direitos das viúvas, como previsto na Convenção para a Eliminação de Todas as Formas de Discriminação contra Mulheres.

Outra sugestão é para programas e políticas que coloquem um fim à violência contra viúvas e suas crianças, que aliviem a pobreza e garantam a educação e todo o apoio necessário a essas famílias, como previstos nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.

Notícias Relacionadas:

Conselho de Segurança saúda envio de força regional ao Sahel

População mundial atingiu 7,6 bilhões de habitantes

Em Dia Mundial, Angelina Jolie faz apelo por crianças refugiadas 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud