Iraque: 5 milhões de crianças precisam de ajuda humanitária urgente
BR

22 junho 2017

Nova publicação do Unicef, “nenhum lugar para ir”, alerta que menores estão presos em ciclos de violência e pobreza; em menos de dois meses, pelo menos 23 crianças foram mortas no oeste de Mossul.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Três anos após a intensificação da violência no Iraque, crianças estão presas em um “ciclo sem fim de violência e pobreza crescente”, de acordo com o relatório “Nenhum lugar para ir”, do Fundo das Nações Unidas para a Infância, Unicef.

Mais de 5 milhões de crianças iraquianas precisam de assistência humanitária urgente. O representante da agência da ONU no Iraque, Peter Hawkins, afirmou que menores foram “mortos, feridos, sequestrados e forçados a atirar e matar em uma das guerras mais brutais da história recente”.

Mossul

O Unicef alertou que no oeste de Mossul, crianças estão sendo alvos deliberados e sendo mortas para punir famílias e evitar que elas fujam da violência.

Em menos de dois meses, pelo menos 23 menores foram mortos e 123 feridos apenas nesta parte da cidade.

Números

Segundo a agência, desde 2014, 1.074 crianças foram mortas no Iraque e 1.130 mutiladas e feridas. Mais de 4,6 mil menores foram separados de suas famílias.

Neste período, houve 138 ataques a escolas e 58 ações contra hospitais. Mais de 3 milhões de crianças não vão à escola de forma regular e 1,2 milhão estão fora das salas de aula.

O Unicef ressaltou que por cerca de quatro décadas, o Iraque enfrentou violência, guerra, sanções e instabilidade. No entanto, apenas nos últimos três anos o conflito deslocou três milhões de pessoas, metade delas crianças.

Muitas partes do país se transformaram em zonas de guerra e infraestrutura civil foi gravemente danificada ou destruída. Atualmente, metade de todas as escolas precisam de reparos.

Apelo

O Unicef continua respondendo às necessidades crescentes de crianças e suas famílias.

Sem fim à vista para a violência em curso, a agência apela para que todos os menores afetados pela crise, não importa onde estejam, tenham acesso à assistência humanitária e serviços básicos.

O Unicef também pediu liberdade de movimento a todas as famílias que queiram fugir em busca de segurança ou retornar a suas casas.

Entre os pedidos da agência está também apelos pelo fim imediato do conflito, de ataques a infraestrutura civil e de todas as graves violações contra crianças.

Notícias Relacionadas:

Mossul: mortes recentes indicam aumento das atrocidades contra civis

Unicef alerta que 100 mil crianças estão em condições perigosas em Mossul

Ocha acompanha saída de moradores de áreas sob controle do Isil em Mossul 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud