Líbia: ONU aumenta cooperação para ajudar migrantes desesperados

1 junho 2017

Acnur e OIM prometeram unir forças e “ir mais longe” para expandir operações no país e aumentar apoio a migrantes, refugiados, candidatos a asilo e líbios afetados pelo conflito em curso.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

Duas agências das Nações Unidas prometeram unir forças e “ir mais longe” para expandir operações na Líbia e aumentar o apoio a migrantes, refugiados, candidatos a asilo e líbios afetados pelo conflito em curso no país.

O alto comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, se reuniu com o diretor-geral da Organização Internacional para Migrações, OIM, William Lacy Swing, num informe na sede da OIM, em Genebra. Os representantes falaram sobre suas missões recentes na Líbia e pediram apoio às ações de estabilização no país do norte de África.

Apelo

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, emitiu um apelo suplementar de US$ 75,5 milhões para atender às necessidades humanitárias e de proteção crescentes das pessoas na Líbia, incluindo deslocados internos, comunidades que os abrigam, refugiados e candidados a asilo.

O apelo inclui ações relacionadas à proteção assim como ativismo em assuntos como respeito aos direitos humanos, acesso a serviços básicos, processos de asilo e liberdade de movimento.

Trabalho urgente

Filippo Grandi declarou que “há trabalho urgente a ser feito na Líbia que só pode ser realizado em conjunto”.

O alto comissário disse ainda que as agências estão “indo além da tentativa de fazer a diferença para centenas de milhares de pessoas".

Na semana passada, o Acnur alertou que centenas de milhares de pessoas no país do Norte de África foram afetadas pelo colapso da lei e da ordem, a falta de assistência médica ou escassez de medicamentos essenciais, comida, água potável, abrigo e educação.

Objetivos

Já a OIM lançou em abril um plano de ação de três anos para a Líbia com dois objetivos fundamentais: fornecer assistência humanitária e proteção tanto a líbios deslocados como a migrantes e estabilizar comunidades líbias, assim como capacitar a gestão migratória nacional.

Este apelo passa de US$ 180 milhões com duração de 36 meses. William Lacy Swing afirmou que embora a OIM já tenha começado a implementar o Plano de Ação, é necessário mais apoio financeiro para assistir e proteger migrantes e populações afetadas pelo conflito na Líbia.

O representante enfatizou que todas as atividades da OIM são coordenadas e implementadas em cooperação com autoridades líbias e o Acnur.

Notícias Relacionadas:

Agência da ONU para refugiados reforça resposta à crise humanitária na Líbia

ONU: atos em batalha por base militar líbia "podem ser crimes de guerra"

TPI pode investigar crimes relacionados a migrantes na Líbia

 

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud