Cplp em negociações multilaterais pode travar queda nas pescas, diz Unctad

16 maio 2017

Para diretor da agência,desequilíbrios podem impulsionar negociações multilaterais; União Europeia diferencia desempenho de Portugal; Brasil produz mais para consumo interno; competição desigual marca lusófonos africanos.

Eleutério Guevane, da ONU News em Nova Iorque.

A Conferência da ONU sobre Comércio e Desenvolvimento, Unctad, defende um maior equilíbrio dos países para travar a sobre-exploração dos recursos pesqueiros.

De Genebra, em entrevista à ONU News, o diretor de Comércio e Meio Ambiente da agência, Lucas Assunção, usou o exemplo dos países de língua portuguesa para demonstrar que há capacidade de atuar em bloco para um objetivo comum onde há desequilíbrios.

Competição

“Os países lusófonos na maioria dos casos têm sofrido esse problema com exceção de Portugal evidentemente, porque faz parte da União Europeia e conta com indústria pesqueira já bastante desenvolvida. No que se refere aos países lusófonos africanos, especificamente, todos eles têm observado essa competição um pouco desigual na indústria pesqueira como um todo. Eles cada vez mais se sentem obrigados a ter ou a investir em equipamentos, barcos e equipes que possam pescar mais longe para ter acesso ao mesmo resultado em termos de recursos pesqueiros.”

O representante acredita que novas negociações multilaterais podem diminuir o empobrecimento da indústria da pesca. Lucas Assunção citou o caso do Brasil, com os mais de 7,4 mil km de litoral, que o tornam a 16ª maior costa mundial.

Solução

“No caso do Brasil, evidentemente é uma costa bastante grande. O país tem uma indústria pesqueira bem desenvolvida, mas o Brasil não é um grande exportador de produtos pesqueiros. A maior parte é do consumo interno. É dessa forma que nós entendemos que essa conferência das Nações Unidas vem em um momento muito importante. Trata-se de buscar uma solução multilateral para que todos possam explorar os produtos pesqueiros em condições mais equitativas e mais justas.”

A 5 de junho a ONU junta os Estados-membros e representantes da sociedade civil para alinhavar um futuro mais sustentável para os oceanos e os mares.

A Unctad estima que as exportações na área das pescas movimentam entre US$ 146 mil milhões e US$ 150 mil milhões por ano em todo o mundo.

Notícias relacionadas: 

ONU: rápida mudança nas regiões polares exige resposta global

Unctad fala de "quase extinção" da indústria da pesca em vários países

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud