Refugiada que disputou Rio 2016 torna-se embaixadora do Acnur
BR

27 abril 2017

Nadadora Yusra Mardini já estava cooperando com Agência da ONU para Refugiados desde os Jogos Olímpicos, quando ela competiu integrando a Equipe de Refugiados.

Monica Grayley, da ONU News em Nova Iorque.

A Agência da ONU para Refugiados, Acnur, nomeou nesta quinta-feira a jovem síria Yusra Mardini sua mais nova embaixadora da Boa Vontade.

Em 2016, Mardini foi escolhida para integrar a equipe de refugiados que competiu nos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, Brasil.

Reconstrução

Em comunicado, o Acnur afirmou que a jovem refugiada tornou-se uma voz poderosa em favor dos que são obrigados a deixar suas casas por causa de conflitos em todo o mundo.

Mardini também é um exemplo de garra e determinação dessas pessoas para a reconstrução de suas vidas, e de contribuição para os países que as abrigam.

O alto comissário do Acnur, Filipo Grandi, afirmou que Yusra representa esperança para as pessoas e para os mais de 10 milhões de jovens refugiados em todo o globo.

Após fugir da guerra na Síria, Mardini encontou refúgio na Alemanha. (Saiba mais sobre a história da nadadora neste vídeo)

Direitos

Ainda em 2016, quando competiu nos Jogos Olímpicos, Yusra Mardini foi convidada a participar da Assembleia Geral advogando pelos direitos dos refugiados ao abrigo, à educação e à formação profissional.

Em janeiro deste ano, ela representou o Acnur no Fórum Econômico Mundial em Davos, onde foi a participante mais jovem.

Yusra Mardini já se encontrou com o papa Francisco e com o ex-presidente dos Estados Unidos. Segundo ela, “não existe nenhuma vergonha em ser refugiado. As pessoas continuam sendo os pais, as irmãs e irmãos, os médicos, engenheiros e advogados que eram em seus países de origem, antes de uma guerra obrigá-los a fugir.”

Barco

Ao aceitar seu novo posto, ela afirmou que estava feliz de se juntar à família Acnur e a continuar seu trabalho de informação sobre a vida dos refugiados.

A história dela tornou-se conhecida quando o barco em que viajava quebrou entre a Turquia e a costa da ilha de Lesbos, quando fugia da guerra na Síria. Acompanhada da irmã, ela nadou várias horas para salvar as 20 pessoas a bordo.

Vivendo e estudando na Alemanha, Yusra tem um novo sonho: disputar as Olimpíadas de Tóquio em 2020.

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud