Mulher e criança são a “face” da crise no Sudão do Sul e na Somália

19 abril 2017

Chefe de resposta humanitária do Unfpa afirma que nos dois países há mais de 200 mil grávidas a serem afetadas; Ugochi Daniels alertou ainda para precupações relacionadas ao risco de violência sexual.

Laura Gelbert Delgado, da ONU News em Nova Iorque.

A chefe de resposta humanitária do Fundo de População das Nações Unidas, Ugochi Daniels, participou de um informe a jornalistas em Nova Iorque sobre uma missão de emergência feita por representantes de organizações humanitárias da ONU à Somália e ao Sudão do Sul.

Para Daniels, “a face dessa crise é uma mulher com sua criança”, a ressaltar ainda que nos dois países há mais de 200 mil grávidas a serem afetadas.

Segurança

Ela afirmou que devido ao impacto da seca, os homens ficaram para trás nas fazendas, a esperar a chuva e tentar cuidar do gado. A representante disse que são as mulheres que estão a se deslocar, às vezes andando por muitos dias com seus filhos em busca de assistência humanitária.

Ugochi Daniels alertou ainda para precupações relacionadas à segurança dessa população, incluindo o risco de violência sexual.

A representante destacou que “mesmo antes dessa crise, estes já eram países muito difíceis para ser uma mulher”.

Segundo Daniels, “no Sudão do Sul uma menina tem probabilidade maior de morrer do parto do que concluir os estudos na escola”.

Notícias Relacionadas:

Somália: crise "move-se muito rápido", mas resposta está a acompanhar

PMA condena morte de trabalhadores humanitários no Sudão do Sul

 

♦ Receba atualizações diretamente no seu email - Assine aqui a newsletter da ONU News
♦ Baixe o aplicativo/aplicação para - iOS ou Android
♦ Siga-nos no Twitter! Assista aos vídeos no Youtube e ouça a rádio no Soundcloud